Anotar na agenda mental:

Re-ler Fernando Pessoa, principalmente Alberto Caeiro(em anexo,poema de Ricardo Reis); re-ouvir Terra de Caetano;
re-ler aqueles poemas zen póstumos de Cecília Meireles.
Ou não rel-er nem ouvir nada.
Pegar as pedras fortemente, apertá-las contra o peito, comprimir a cabeça e o corpo inteiro contra as árvores, pisar descalço na terra, colocar balas e doces (sempre em número ímpar) ao pé das árvores grandes para os duendes e devas e erês comerem e ficarem teus amigos, deixar na cabeceira toda noite copos de água com acúcar para as fadas virem beber de madrugada. Acender velas para chamar LUZ, jogar rosas amarelas nas águas dos rios para Oxum.
Coisas assim: ritualizar, para dialogar com O Mistério. Para que ele te/nos proteja.
Coisas claras, panos brancos, incensos e flores. Purificar, purificar o que na essência da nossa condição humana é pura e medonha treva de desconhecimento de todos os porquês.

Facebook Comments

3 Comments

  1. Meninaaaaaaa…. vc está de vento em popa com esse blog heim!! Mto bom ler e re-ler vc… rsrsr
    tô adorando essa fase… sou fã, né!
    CONTINUEEEEEEEE!!!

    Aquele beijo pra vc !!

    Ana Lucia (vizinha da MARIANA)

  2. Me avisa onde vai colocar esse montão de balas.
    Amooooooo doce.

  3. cecília meireles.. taí uma autora que eu tenho que conhecer melhor.

    Me indica alguma coisa pra começar?
    ;D

Deixe uma resposta