Subindo pelas paredes

Ahá safadeeeenha, achou que eu estivesse falando daquele livro que as mulheres não tiram da cabeceira, né? (que btw não fez o menor sucesso comigo!), mas não, sou pessoa recatada e tô falando é dessa minha fase de “do lar”, o sentimento é tão inédito e está tão latente que até dispensei a ajudante e agora a casa e todo mundo que mora nela está por conta do meu talento de Amélia moderna (oi lava louça!), a fase está tão bonita, mas tão bonita que até o meu eu exterior resolveu subir pelas paredes, pintar o teto da casa, ariar os lustres e levar uns choques desses que fazem parte, sabe como? Nada grave e tals.

Rosinha está preocupado até porque quando eu tô nessa, mudo tudo de lugar, ele sai para trabalhar de uma casa e chega em outra, e pela dificuldade que ele tem em encarar mudanças, normalmente ele não gosta, mas, fazer o quê? a casa é minha e eu moro aqui mais do que todo mundo o que me dá autonomia de decidir a disposição dos móveis e SE, eu disse SE, achar necessário, também a sua substituição, sem aviso prévio.

De eterno já basta esse monte de filho e a promessa que eu fiz no altar, né?

.

Facebook Comments

7 Comments

  1. Depois da a dica de como voce faz para organizar seu dia com 3 criancas. Eu, com apenas uma, nao consegui ainda colocar uns quadros na parede e prateleiras no quartinho-da-bagunca, que estao esperando ha 2 anos!! Voce nao esta gravida do 4o, nao, ne? Parece "nesting" fora de epoca. hehe

  2. Que bonitinho! Trate de postar as fotos (antes / depois).
    Abraço do leste paulista.

  3. êh maluquinha, lá em casa quem não gosta de mudanças nos móveis sou eu, se trocar minha cama de lugar eu levo uma era para conseguir dormir de novo,kkkkkkk
    Eu queria muitooooo ter essa coragem. Faço o basicão e a contragosto.

  4. ahhhh como gosto do teu blog, de te ler nas linhas…abço

  5. Nossa, quanta disposição!
    Se fizer alguma mudança mostre aqui.
    Bjs.
    Elvira

  6. Também não gostei do livro não. Não passei do segundo capítulo. Jacq

Deixe uma resposta