Acabou a paixão?

Outro dia, depois de escrever um post do tipo que compara a Irlanda com o Brasil e que naquele tópico a Irlanda ganhava, eu me perguntei se a fase de paixão entre eu e Dublin ainda influenciava o meu olhar sobre esse país.

Acho que definitivamente depois de quase 6 anos Entre.Eles posso afirmar que não existe lugar perfeito, pode até existir para passar férias, fazer compras, trabalhar, mas um País que englobe tudo de bom em um só lugar não existe.
Para mim, o lado negativo e sombrio daqui que mais me assusta, me preocupa e me dá calafrios só de pensar é o Álcool, sem nenhuma dúvida.
Ontem vendo um programa de tv sobre a adolescência em Dublin quase tive um treco -desculpe a falta de glamour- mas Breno com 12 anos, segundo a pesquisa, tem grandes chances de começar a beber, veja você, ano que vem, aos 13!
O Brasil pode ter um monte de defeito, falta de controle e uso de droga, mas quando eu tinha 13 anos nunca vi ninguem da minha idade viciado em álcool, pelo menos não da mesma classe social que eu, o que assusta é que aqui apesar da maioria (58%) pertencer a classe dos chamados Knackers, a classe média e alta não escapam.
E aí eu te pergunto, o que fazer? Trancar? Rezar?
Well tô apostando em Educar e com muita fé, que isso baste, porque o clima, a falta do que fazer e a influência social parece que é o que acaba vencendo, na maioria das vezes.
Parece que a juventude daqui (além de não sentir frio, constata-se pelas roupas) anda perdida como os sapatos e vômitos que a gente encontra no meio da rua entre quinta e segunda-feira.

Torçam por mim.
.

Facebook Comments

12 Comments

  1. Companheira, tenho um filho de 21 anos. E juro para vc que tive os mesmos frios na barriga que vc está tendo agora. Se quer um palpite: ocupe-o. Esqueça essa coisa toda de que jovem não pode trabalhar e bla bla bla e dê ao Breno várias tarefas na casa. Várias. Porque ele é o mais velho e tem mais responsabilidade (tenha certeza que isso não vai traumatizá-lo). E num plano B, receba a galera em casa. Seja a mãe mais "in" da paróquia e que ele se sinta muito bem de poder te contar tudo, dividir tudo e trazer os amigos quando bem entender. Isso vai fazer com que vc participe mais da vida dele do que normalmente os pais participam. Mas dê a ele a privacidade que ele precisa tbém para cometer os próprios erros. Lembre que cagadas de adolescente ele vai fazer. Isso é inexorável. Seu papel é protelar ao máximo a idade qdo elas serão feitas. Pq se ele fizer com 17 ou 18, pelo menos já vai ter mais responsabilidade e noção para aguentar as consequências. Boa sorte! Vc vai sobreviver!

  2. Não se preocupe amora, educação e bons exemplos são tudo nessa vida.
    Mas estou no mesmo dilema que você, no mais é rezar e pedir ao Papai do céu que nos ajude e força na peruca.
    Beijos.

  3. Karine, olha que no Brasil a coisa nao é taaaao diferente nao… Tudo bem que a idade la, pra começar a beber ou se drogar (ou fazer os dois juntos), nao chega a ser tao baixa. Acho que é um problema mundial os dos vicios. E lugar ideal nao existe… Se existisse todo mundo estava morando la… Existem lugares onde nos sentimos em casa mas isso é muito subjetivo…

  4. Oi Karine!
    Conversar de vez em quando, sem "pegação", demonstrar algumas ações negativas na vizinhança, dar bons exemplos.
    O meu tem 27, mas o Esposo… Esse dá um pouco de trabalho.
    Abraço do leste paulista.

  5. Ká, não pense que no Brasil vc tb não estaria preocupada com isso. Estudos apontam que nossos jovens começam a beber cada vez mais JOVENS e isso ja fica claro nas festas de 15 anos poraqui, onde o que não pode faltar é a bebedeira e os vexames. O pior de tudo esta em beber e achar bonito, beber e estar na moda! Ainda não tenho filhos e ja me preocupo em como será…rs

  6. Ká, aqui no Brasil não ta diferente não viu, os adolescentes estão bebendo muuuito mesmo! Convivo com muitos deles e posso te garantir que está assustador, parece que pra eles diversão não existe sem bebida, pra eles e p/ os adultos tbm, pq esse comportamento exagerado quanto ao álcool está generalizado, ta todo mundo bebendo até cair, vomitar, triste viu

  7. Acho que tudo é questão de quão influenciável ele é.

    Na adolescência, alguns fazem de tudo para serem aceitos no grupo, então bebem, fumam, usam drogas. Mas se a estrutura psíquica dele não for influenciável, ele poderá até ter amigos que bebem, mas não beberá, ao menos tanto quanto você diz que as pessoas bebem aí.

    Sempre saí por aqui e fiquei na água, odeio cigarro. Óbvio que você destoa do grupo, mas não impede que se divirta.

  8. Não existe melhor lugar… todos tem suas peculiaridades, sempre será assim.

  9. Ká, näo acho que no brasil seja muito diferente näo. lembro de ter tomado minha dose aos 13. num restaurante. com outros amigos. e ninguém se preocupou em saber que idade a gente tinha (e a gente tinha cara de pirraia), e ninguém de preocupou em fiscalizar o lugar.

    acho que nessas bandas de cá, com a fiscalizacäo mais rígida, e com essa infancia prolongada q os europeus tem, dificulta o acesso a bebida bem mais do que em terrar tupiniquins.

    mas eu espero que seu brenito de queijo tenha juízo na vida e que o que quer q ele faça (sim, pq a vida vai sim ser experimentada) seja com responsabilidade.

    … deixa pra se preocupar qd chegar a hora, mulher!

  10. Sempre alerta e vigilante!!!! Mas bom mesmo é que ele tenha liberdade pra levar os amigos para casa, vcs os conhecerem, enfim, trocar informações já dificulta um pouco. Nem todos os adolescentes são rebeldes a fase passa… bjs

  11. Karine, aqui no Brasil os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo e bebendo muito. Não são todos os lugarem que encontramos uma fiscalização verdadeira, sempre há aquele jeitinho.
    O que você deve fazer é conversar bastante com o Breno. Ele parece ser um ótimo menino.
    Bjs.
    Elvira

  12. incentiva a pratica de esportes e outras atividades…. menos tempo sem ter o que fazer e se preocupar com a saúde e condição física é a melhor saída para boa alimentação e controle de consumo de alcool. Falou a nutricionista aqui, kkkkk
    Jacq

Deixe uma resposta