Paris Bate e Volta

Paris em um final de semana.
Paris em um final de semana.

Vale a pena um Bate e volta em Paris?

Faz 7 anos que moro na Irlanda.
E essa foi a sexta visita que minha mãe nos fez.
Ela sai de Dublin falando que só voltará em 3/4 anos, mas já chega no Brasil procurando passagem para as próximas férias.
Dessa vez, com 4 kids em casa e vendo a minha rotina punk, até acredito mesmo que vai levar um tempinho pra ela querer um flashback ká.entre.nós, mas sei lá, né?
A Saudade faz a gente esquecer os sufocos.
Eu acho.
Mas o fato é que, mesmo podendo viajar para outros lugares do mundo, ela sempre escolhe gastar seu suado dinheirinho aqui, então decidi (com o apoio do Rosinha e da minha sogra), que a cada visita dela, a levaria para conhecer um País/cidade diferente, até porque, os passeios mais bacanas por Dublin, ela já fez.
Dessa vez, escolhi Paris.
Eu já fui a Paris, passei minha Lua de mel lá.
Mas minha mãe e minha prima, que também veio do Brasil, nunca tinham ido, plus que a irmã do falecido pai do Breno mora em Paris, então seria uma chance bacana de Brenitos rever os seus.
A viagem seria bate-e-volta.
2 noites.
Então não fazia muito sentido levar os bebês.
Eles ficaram com Rosinha e minha sogra.
Eu levei Breno e Chloe.
Convidei minha cumadre e partirmos em 6 para a cidade da Luz.
Voamos de Ryanair (Beauvais Airport) e aluguei um private transfer (52€ por pessoa ida e volta) que já nos esperava no aeroporto quando chegamos e nos deixou e nos pegou na porta do hotel.O caminho do aeroporto até o hotel foi mais longo do que de Dublin a Paris (ou a mesma coisa), mas no nosso caso, como pegamos o voô as 6 da manhã, aproveitamos o trajeto para descansar e chegamos no Hotel ainda bem cedo.

A economia na diferença do preço da passagem, compensou. (economizei 50€ por passagem, se fosse uma passagem acho que não valeria a pena, mas como estava pagando 4, economizei 200€).

Como nossa estadia seria curta, bookamos um hotel bem perto da Eiffel tower (Ibis Cambronne) e ao invés do famoso metro escolhemos como método de locomoção o Bus tour (29€ por 1 dia/35€ por 2 dias).
Subimos na Torre. Entramos na Catedral de Notre Damme (pegamos até um pedacinho da Missa).
Nos Museus não deu para entrar, foi uma visita superficial, corrida, mas muito bacana.
Foi bem fácil me locomover com a Chloe, porque levei um carrinho dobrável (quinny zap), o que me garantia sossego e me poupava das reclamações de cansaço.
Comemos muita coisa gostosa, em especial o melhor Creme Brulée do universo (que aliás, eu podia comer no café da manhã, almoço e jantar) e ó, tivemos o prazer de desfrutar um jantar brasileiro gostoso  na casa da tia do Breno.

Tivemos sorte com dias ensolarados e só um dia choviscou, mas nada que atrapalhasse nossa programação.
Sabe aquela trip que tudo corre na mais perfeita paz?
A nossa foi assim.
Companhia ótima, cenário perfeito e back up em paz.
Já estou planejando a próxima, viu mãe?

Paris em um final de semana.
Paris em um final de semana.
Torre Eiffel e nosso City bus.

 

Paris em um final de semana.
Paris em um final de semana.

 

 

 

 

 

 

Paris em um final de semana.
Paris em um final de semana.

 

Ponte dos cadeados/Paris

 

Obrigada cuma, pela companhia e pelas fotos mais caprichadas desse post 🙂

Facebook Comments

7 Comments

  1. Tudo lindo <3 Um dia ainda conheço Paris.

  2. Até suspirei lendo esse post….ahhhh……foi um dos momentos mais belos da minha vida…sabe aquele sonho que fica guardado e vc nem ousa sonhar????? Esse foi o meu….pior que vicia vc começa a sonhar outros sonhos…ou repetição desse mesmo, de tão maravilhoso que foi…obrigada por tudo…esse levo pra eternidade…muito obrigada mais uma vez…a Deus primeiramente, a vc , ao Eamon por tão grande generosidade….um grande beijo a todos vcs….amo vcs!!!!

  3. Além de lindas fotos, lindo passeio!
    Eu ainda nunca viajei de Ryanair pois o aeroporto fica muito longe e até agora para mim nunca compensou o preço do deslocamento. Nas vezes em que fui à Dublin viajei de Aer Lingus (comprei direto no site) e gostei do serviço, além de ser no aeroporto Charles de Gaulle, que para mim é bem mais prático (e deslocamento mais barato).

    • Acho mesmo que quando se esta pagando 1 ou até 2 passagens não faz diferença mesmo, mas eu paguei 4, a economia pagou nossa hospedagem e tipo, achei o caminho agradável e não tivemos nenhum sufoco com o transfer, que foi pontual, o caminho também era bonito e serviu pra gente descansar. Mas quando fui só eu e o Rosinha, optamos por mais conforto. 🙂
      beijo

  4. Mara quer ir viajar comigo next time? hahahahha

Deixe uma resposta