O que é Puberdade Precoce?

O que é Puberdade Precoce?

 

Uma amiga minha, outro dia, passou por um susto com a filhinha e mencionou que ver filhos adoecerem é a pior parte da maternidade e ela tem razão.
Pra mim, isso é tão verdade que em 8 anos de blog, evito falar sobre isso, posso até ter deixado uma preocupação ou outra, escapar, mas não me lembro de ter falado a fundo sobre doenças corriqueiras que todas as kids tem e o único motivo de ignorar esse lado difícil da maternidade, é porque ainda não sei lidar.

Quando elas ficam doentes e a rotina desanda fico bem agoniada e tenho tudo, menos inspiração para escrever.
Sou a mãe mais tranquila que você já viu na vida, de verdade.
Perco muito poucas noites de sono preocupada com coisas bobas e que fazem parte do crescimento infantil, mas sobre condições mais específicas, tenho bloqueio e tô trabalhando isso dentro de mim.
Por exemplo, hoje, resolvi te contar sobre um diagnóstico repentino dado a Mia no início desse ano.
Um dia, indo fazer o check up do strawberry hemaginoma que ela tem na pontinha do nariz, resolvi comentar sobre a mama dela com a médica.
Mia foi uma bebê gordinha e sempre teve um peitinho, achava que fosse gordura, embora a Chloe não tivesse tido, ou o Breno, mas quando ela emagreceu e o peito estava ficando bem definido, como o de uma criança mais velha, passei a prestar mais atenção e foi só porque já estava lá, resolvi tocar no assunto, nunca pensei em marcar uma consulta exclusivamente pra isso.
Depois de examina-la, vi a preocupação no rosto da doutora que me encaminhou para fazer um raio x de pulso no mesmo dia.
A idade óssea da Mia estava bastante avançada para a sua idade, ela na época tinha 2 anos e meio e pelo exame, ela tinha 6 anos.
O diagnóstico de puberdade precoce foi bem rápido e passamos um dia no hospital, fazendo milhares de exames.
O tratamento hormonal foi preescrito, mas Mia teve sorte e o organismo dela reagiu muito rápido, depois de 11 meses do primeiro exame, vimos que a idade óssea dela não evoluiu rapidamente como nos 2 primeiros anos de vida e a mama regrediu, hoje está praticamente normal.
A condição dela requer acompanhamento, principalmente até ela ficar mocinha de fato, mas o susto passou.
E por isso, resolvi dividir com você, o final poderia ter sido bem diferente se ela não tivesse sido acompanhada desde cedo, a puberdade precoce afeta a vida da criança em todos os sentidos, embora seja uma condição com grandes chances de controle feito por hormônios, se não diagnosticada a tempo ela pode causar infertilidade, baixa estatura, envelhecimento precoce e uma série de outros fatores que influenciam na qualidade de vida de uma mulher. Imagine uma menina de 4 anos de TPM? Ou uma jovem de 23 anos na menopausa?
A internet ajuda bastante na pesquisa dessas nossas dúvidas, mas em alguns casos, nos trazem ainda mais insegurança.
Como mãe, meu conselho é seguir sempre seus instintos por mais boba que a preocupação pareça ser, procure ajuda especializada e evite levar muito a sério as informações encontradas online.
Minhas amigas e família, foram um apoio incrível nesse período e quando a gente divide, parece que o problema, como em um passe de mágica, diminui.
E tenha certeza, embora a maternidade seja, de fato, na maior parte dos dias, um trabalho solitário, você nunca está sozinha.
Muita Saúde, para nossas crianças e muita paz para nossos corações!

 

Facebook Comments

3 Comments

  1. Foi exatamente isso que eu disse pra uma mamae que tava agoniada com a filha doentinha (no fim eh so uma catapora, ainda bem): Ouça teus instintos e corra atras. Pergunte, nao ignore! Minha filha nasceu com paralisia plexobraquial que junto com a torcicolo congenita resultou numa plagiocefalia. Passei o primeiro ano correndo atras e as voltas com fisio, quiro, osteopata… E hoje ela ta perfeita, 100% recuperada. 🙂 Mas sabia desde o inicio que tinha algo errado e so levei mais tempo pra agir por pura negaçao. Beijos pra vc!!

  2. Nossa…nunca tinha ouvido falar. Foi bom divulgar. Ainda bem que tratou cedo! Tudo de bom!

  3. Ká, Deus age sempre!! E a linda Mia não terá nenhum problema recorrente!!
    Meu filho tem 2 anos e meio e é autista, e eu lutei muito para ter uma boa médica que investigasse, depois briguei na justiça por um bom tratamento (Oh Brasil!)…mas enfim, mães nunca tem sossego!! haha

Deixe uma resposta