The Momsters.

Semana passada fui assistir “I dont know how she does it” ou em português “Eu não sei como ela consegue” mas que no Brasil será traduzido pobremente em algo como “Super mãe”, com a Sarah Jessica Parker.

O filme que retrata o dia-a-dia de uma mãe, bem sucedida profissionalmente, foi melhor do que eu esperava e pior do que deveria ser, entende?
Tipo, não gosto de esteriótipos e antes de assistir a um filme com esse título, já sabia que ele seria cheio deles.
Apesar de as vezes eu mesma fazer graça da minha condição de housewife e não me levar muito a sério, a postura do filme colocou as mães que não trabalham fora como sendo desocupadas, loucas, consumistas, competitivas e fúteis, pra ser sincera não me incomodou -muito- mas acho que você pode falar bem de A sem necessariamente acabar com o B, né?

Faz tempo a carreira da Sarah Jessica Park tem pouco a ver com atuação e muito com auto promoção e “I dont know how she does it” é prova disso.

Até vale a pena assistir, principalmente com as amigas (a não ser que você seja workaholic e queira mostrar todo seu poder a seu parceiro), o filme garante boas risadas e tem frases ótimas que deixariam as feministas orgulhosas.

Segundo a produção a única semelhança entre as mães que trabalham fora e as que trabalham em casa é que os dois tipos usam seus atributos físicos para conseguirem o que querem dos seus maridos. (como nesse comercial polêmico da Gisele aqui)

De resto, nós as housewives, somos as Momsters e ficamos na academia das 7 da manhã as 2 da tarde.
Seria até uma boa idéia, se na verdade a gente não tivesse que trabalhar para o bem de todos e felicidade geral da nação, 24 horas por dia…Porque, né? com o marido anjo que ela tem e mais uma babá que leva o filho pra cortar o cabelo sem ela nem precisar pedir,
I dont know how she does it!
Oh..Wait!
I DO know how she does it !

.

Facebook Comments

2 Comments

  1. Vou assistir o filme depois comento..rsrsrs bjks e bfs.

  2. vale a pena mesmo? vou baixar aqui pra ver. nao rola ir no cinema ainda…. fui inventar parir pra que, hein?! hahaha

Deixe uma resposta