Contaminação em massa

Squeezing the Dollar Royalty Free Stock Vector Art Illustration

Existem  alguns comportamentos nessa vida que me assustam, brasileiro comprando a vista no Brasil e irlandês começando a comprar a prazo na Irlanda, são alguns exemplos.

Quando comecei a trabalhar em loja de shopping que é bem cara, aqui, dei de cara com uma realidade diferente, sabe? Uma realidade de consumismo controlado, sem pagamentos parcelados e pouco uso do cartão de crédito.

Quando eu organizei meu casamento, conversando com o Rosinha ele não acreditou no esquema que rola no Brasil, onde o casal já começa a nova vida todo endividado por causa de uma festa, porque não sei se você sabe, mas Europeu em geral não está preocupado em impressionar ninguém com mega produções e se enrolar depois, vide o número mínimo de convidados para casamentos e as não existentes festas infantis.

Nem carro é comum comprar a prestação, a prestação mesmo só casa e porque não tem jeito.

Quase 6 anos se passaram e a Irlanda entrou em crise, entrou e não saiu, e o povo teve que se acostumar, afinal, se não houver consumo a economia não gira e não queremos que a economia não gire,  não é mesmo?

Então agora já é possível ver lojas oferecendo crediário, lojas de departamento principalmente e eu começo a sentir uma pontada no coração e a sentir pena desse povo que não tem a mínima idéia do risco que está correndo, a sorte é que vivemos em um mundo digital e pelo menos de cheques pré-datados eles estão salvos!….ou será que não?
O povo Irlandês está precisando de oração.

Vamos acompanhar os próximos capítulos.

.

Facebook Comments

19 Comments

  1. Eu pensei a mesmíssima coisa outro dia quando vi uma propaganda de loja (nem sei qual, ou do quê) oferecendo compra parcelada. Uma tristeza…
    x

  2. Que engraçado Ka, quando nós não saímos no nosso país, muitas vezes não temos noção da cultura ou costume dos outros países, e me casei recentemente e não fiz festa, apenas civil e almoço com a família e me senti (váriaaaas) vezes estranha pela cobrança da "Sociedade"… COMO ASSIM você não fez festa?! Me perguntavam. Ou vai casar? Que delicia.. onde será a festa? Não tem… ahhhhh (Literalmente as pessoas faziam caras tristes como se o casamento fosse APENAS a festa). O tristeza!

    E o tristeza pela Irlanda! Oremos….
    Um beijo.

  3. Mesmo pra nós , brazucas , acostumados em compras parceladas já é um perigo , fico imaginando inserir o crediário em uma cultura quase "virgem" neste assunto 🙁
    Perigo em dobro ou não .

  4. Nossa Ká, vc não sabe o como fiquei triste com essa notícia.
    Foi na Irlanda que consegui botar na cabeça do Dani a juntar dinheiro para comprar as coisas para não se enrolar depois, e depois de morar aí, moramos nos EUA e continuamos a fazer assim, e hoje, aqui no Brasil, fazemos de um tudo para continuar a comprar as coisas como fazíamos aí.
    Fico muito triste mesmo, pois isso é sinal de que a economia vai de mal a pior, e não é essa a lembrança que tenho desse país, o qual considero minha casa.
    Peço muito para que as coisas voltem ao normal por aí.

  5. Nossa Ká, vc não sabe o como fiquei triste com essa notícia.
    Foi na Irlanda que consegui botar na cabeça do Dani a juntar dinheiro para comprar as coisas para não se enrolar depois, e depois de morar aí, moramos nos EUA e continuamos a fazer assim, e hoje, aqui no Brasil, fazemos de um tudo para continuar a comprar as coisas como fazíamos aí.
    Fico muito triste mesmo, pois isso é sinal de que a economia vai de mal a pior, e não é essa a lembrança que tenho desse país, o qual considero minha casa.
    Peço muito para que as coisas voltem ao normal por aí.

  6. Oi Ká,

    Eu discordo quando você coloca pesos diferentes para brasileiros e irlandeses quando o assunto é exibicionismo. Pois se pararmos pra pensar, aqui também tem uma galera que adora se exibir, a diferença que não é com casamentos com quantidade monstruosa de convidados nem festas infantis, mas o aluguel de helicópteros em Primeira Comunhão, limousines nas Hen's Party, entre outros, estão aí pra confirmar isso. A grande diferença que eu vejo é realmente cultural, onde um valoriza X e o outro Y. Um dia, conversando com minha sogra, eu confirmei que festas de 1 anos aqui não são mesmo populares. A opinião dela, onde ela deixou claro que acha "silly" essa idéia de festa pra criança que não entende nem o que está passando em volta, veio seguida da seguinte explicação: "Aqui, o big deal pra gente é o Batismo". Na hora eu fiquei com cara de "ÃH?!?" pela falta de coerência no que ela tinha acabado de opinar e explicar. Outro exemplo é uma pessoa que eu conheço que não quer admitir que a época das vacas gordas já se foi e fica desfilando de Audi 2012, enquanto o marido fica pedindo o carro ao genro emprestado. Enfim, cada um com suas prioridades.

    Mas concordo plenamente com a relação "BRASILEIRO x CREDIÁRIO x EXIBICIONISMO. De fato, as três coisas andam de mãos juntas. O que eu mais vejo é gente que às vezes parcela o iPad em 24 vezes pra tirar onda na rodinha de amigos.

    Até entendo essa lógica onde o consumismo precisa existir pra a economia girar. Mas isso me remete ao grande problema que eles tiveram com financiamento de casas a torto e adoidado que foi a grande causa de crise econômica e que até hoje muita gente ainda se vê com dificuldade pra pagar. Não entendo de economia, mas a equação me parece a mesma.

    Tomara que os irlandeses percebam a cilada que eles estão se metendo e arrumem uma outra maneira de alimentar o Tigre Celta, esse que ainda está tão faminto.

    • Eu acho que isso depende muito dos irlandeses que nós conhecemos,
      eu não conheço a Irlanda inteira, mas quando escrevo um post tento me basear na maioria.

      Fiz dois batizados aqui na Irlanda, um mais simples do que o outro,
      10 convidados em cada e pronto.
      Nem festa de 15 anos existe por aqui, quanto a primeira comunhão a galera alugar carruagem isso é coisa de gipsy, flor, na primeira comunhão do Breno as meninas estavam lindas, simples e a festa foi no pátio da escola, e pelo que tenho visto nesses 6 anos morando aqui é uma porção muito mais consciente em relação a crediário.

      Gente sem noção e vivendo no mundo do faz de conta sempre vai existir, aqui ou acolá, mas o exibicionismo no Brasil é sem dúvida muito mais gritante, até porque aqui qualquer pessoa que trabalha pode ter um iphone por exemplo, então “perde um pouco a tal da graça” .

      Eu tive limousine na minha despedida de solteiro, mas quem organiza a hen são as madrinhas e pasme, custa pouco, tipo 120€ que são divididos ENTRE as convidadas, tentei até procurar um exemplo de exibicionismo irlandês, mas desculpe, não achei nada perto do exibicionismo que existe no Brasil.

      Oremos para a Irlanda sair dessa cilada.

      beijo

    • Concordo plenamente com vc… Enquanto alugar uma limo no Brasil e' pra ricaço que tem dinheiro saindo pelo nariz pois custa uma fortuna, aqui onde moro, qualquer 200/300 euros pode valer 2h de passeio(motorista incluso), para 7 pessoas com direito a Chardonnay e petiscos, serviÇo fotografico, e paradinha nos monumentos mais conhecidos… Sei porque já me informei, ta! Então, quando esses "pequenos luxos" estão ao alcance da maioria ele deixa de ser um simbolo de status e não caracteriza o exibicionismo…Existe uma abismo enorme entre o "querer aparecer europeu" e o "querer aparecer" brasileiro…

    • Pois é, mas é aí que está, não acho que o fato não existir aqui certos costumes que existem no Brasil seja fita métrica pra medir o exibicionismo de cada um. Como também não acredito que todo mundo que faça um casamento com 300 convidados esteja querendo afirmar algo, até porque, exibicionismo pode existir numa festa pra 30 pessoas.

      Ah, nem sabia que alugavam carruagem, essas coisas. O que falei sobre aluguel de helicóptero é baseado no que o Roy me conta que algumas mães aqui ficam loucas com a Primeira Comunhão das filhas.

      Anônimo, me parece que pra você exibicionismo está muito mais relacionado a quantidade de dinheiro gasto do que com a intenção da pessoa em si.

      Beijo, beijo!

    • Dai, eu acho que exibicionismo está em gastar sem poder, sabe?
      Só para se exibir.
      Nunca na vida tinha escutado sobre esse lance de helicóptero, juro!
      Talvez em Cork seja diferente, mas em Dublin as pessoas no geral estão muito pouco preocupadas em impressionar alguém sem poder, agora, se fulano pode ter um Audi 2013 e é feliz, bom pra ele, se tem gente que faz casamento para 300 podendo bom pra ela, triste é facilitar o pagamento (crediário) para um pobre ostentar um ipad ou iphone e se ferrar no final….

      .

    • E P.s.: O costume de fazer festa parcelada sem poder, comprar carrão do ano parcelado, ipad, iphone e coisas que não são nem de primeira necessidade sem poder, pode ser costume, que se chama exibicionismo, esse é meu medo, a facilidade de crediário aqui na Irlanda vai fazer com que costumes como esses comecem a acontecer com mais frequência.

  7. Vixe, só Deus sabe como era a minha vida quando vivia no Brasil, gastava horrores!!!
    Hoje em dia eu dou valor a cada "centimos de €" que entra no meu bolso.

  8. Olá,

    Peço então um pouquinho das orações para Portugal que aqui a coisa também tá feia!
    Bj

  9. Eu sinceramente achava que nunca esse dia iria chegar aí, mas pelo visto nem o primeiro mundo escapou dessa poluição de crediários e vendas á prazo.

    Agora me dizer que não tem festas infantis me assustou, rs como são comemorados os niver dos pinpolhos por aí então? me fala porque eu sou metida á européia e não posso deixar de acrescentar mais essa mudança na minha vida.

    Um beijo e seu blog é lindo , com muito conteúdo e você tem um jeito unico de escrever. Venho aki sempre, porque Ká entre nós, esse é um dos melhores cantinhos na internet não é mesmo?

    http://www.vidaaposdezoito.com/

    • Oi Daiana, aqui tem festa infantil, só é bem diferente das do Brasil.
      Só as crianças são convidadas, os pais levam e buscam e normalmente é em casa, ou eles vão ao cinema (na idade do Breno) ou em um parquinho indoor, as comidas servidas são poucas e todo mundo brinca daí tem a hora de lanchar, não existe garçons, cerveja e aquela decoração toda, a não ser que seja de algum brasileiro que more aqui.
      Acho muito melhor!

      Um beijo

  10. Eu raramente compro algo parcelado. Prefiro pagar à vista e se possível com desconto.
    Comcordo com você sobre o exibicionismo no Brasil. Vejo pessoas totalmente endividadas e que continuam comprando porque precisam e querem manter a pose.
    Se eu não tenho dinheiro eu não compro e com isso nunca tive dívidas.

    Bjs.
    Elvira

  11. Que triste. Eu também não acreditava que esse dia ia chegar, e nem faz tanto tempo que estive aí. 2008 foi ontem! Lembro que um amigo irlandes dizia que em três, quatro anos não teria mais tantos carros novos nas ruas, e que muita gente permaneceria com seus carros novos daquela época. Acertou então? Também lembro que carro era bem barato.

    • Tati que saudade!
      Como estão as coisas?
      Então, vc ia levar um susto, sabe?
      Quanto a carro, quando é velho continua barato, mas zero tá mais caro.
      Paguei no nosso em torno de 26.000€,achei caro, é de 7 lugares, massss quem entende do assunto diz que se fosse no Brasil eu pagaria 200 mil, então não sei…ha ha ha

Deixe uma resposta