Stickygram

Stickygram

Eu não tenho passado.
Quer dizer, óbvio que tenho, mas além das lembranças abstratas sobrou muito pouca coisa de material da minha infância, incluindo fotos.

Quando eu fiquei grávida do Breno uma das primeiras coisas que comprei foi o Livro do bebê,
assim registraria ali os momentos mais importantes da vida dele, e me senti a mãe mais mais zelosa do mundo.

Daí eu conheci o Rosinha.
O rosinha e a minha sogra.
Sogra essa que guardou a Primeira mamadeira do meu marido que tem, veja bem, 40 anos.
Me senti humilhada, sabe?
Tudo bem que eles tem uma casa mega gigante e tals para guardar tralha, mas poxa, acho que queria ter algumas coisinhas de quando era baby, depois disso passei a levar meu plano mais sério ainda.

Quando a Chloe nasceu corri e comprei o álbum do bebê para ela.

Quando a Mia nasceu, para a minha felicidade encontrei um igualzinho ao da Chloe.

E agora, além do meu super telefone, nos últimos meses ganhei um novo aliado na minha missão, o Instagram.
O Instagram e a Stickygram, empresa que transforma as fotos do álbum do Ig em imãs, ótimos para dar de presente e p-e-r-f-e-i-t-o para álbuns de memória e a prova de rebeldia juvenil, se eles existissem eu não teria rasgado todas as fotos da minha Primeira comunhão porque não gostei do meu cabelo. (ok, até teria rasgado, mas me daria mais trabalho e eu não gosto de coisas que me dão muito trabalho).

O styckgram ganhou o meu coração poprque eu faço o pedido no conforto do meu lar e chega muito rápido, o que pela facilidade, para o desespero do rosinha, toda semana tem um envelopinho sucesso cheio de recordações da nossa vida na caixinha do correio e no extrato do cartão de crédito.

Na era digital, é importante a gente não esquecer de imprimir fotos, né?

Se você curte a idéia, super indico a Stickygram, o site é em português ou Inglês e eles entregam no mundo inteiro.

Para conhece-los e fazer o seu pedido é só clicar (aqui) o frete é grátis! e ó boa sorte tentando escolher as suas fotos! hahaha

Facebook Comments

4 Comments

  1. Revelar fotos é bem coisa de mãe mesmo, né? Em 2009 eu e minha família fomos ao Parque da Mônica, em São Paulo. A ideia era que meu irmão aproveitasse porque ele tinha 6 anos (e eu, 21), mas quem se divertiu mesmo fui eu. Daí que tiramos altas fotos que minha mãe decidiu revelar e eu fui contra dizendo que a coitada era uma velha. Passei todas as fotos pra um pendrive novo, que eu comprei na 25 (Ops!). Conclusão? Perdemos tudo! Só sobrou o que minha mãe fez o favor de revelar.

  2. Esta questão das fotos é polêmica mesmo, Karine!
    Vai ficando tudo no computador e pode ser perdido facilmente.
    Um abraço.

  3. Sinto falta da epoca que eu revelava todasss as fotos do meu rolo predileto de filme de 36 poses kkk e ficava na expectativa de ver as fotos. Acho super a era digital,mas acho chato que se perdeu o hábito de revelar/imprimir fotos e reunir a galera pra ver o álbum de fotos rsrsrs
    Vou dar uma espiadinha nesse site.

  4. Sinto falta da epoca que eu revelava todasss as fotos do meu rolo predileto de filme de 36 poses kkk e ficava na expectativa de ver as fotos. Acho super a era digital,mas acho chato que se perdeu o hábito de revelar/imprimir fotos e reunir a galera pra ver o álbum de fotos rsrsrs
    Vou dar uma espiadinha nesse site.

Deixe uma resposta