Seria Cômico, se não fosse trágico.

Seria Cômico, se não fosse trágico.

A Irlanda é um País pequeno, apelidada por muitos, carinhosamente, de Fazendão.
Por muitos, não por mim.
Mas o fato é que o tamanho da sua população reduz as chances de que bafões de celebridades aconteçam, para evitar que nossa vida seja um marasmo e não tenhamos assuntos nos parquinhos,  acompanhamos em tempo real tudo o que acontece nos bastidores do mundo dos “famosos” da Inglaterra, e ó, eles estão de parabéns. Ganham desparados dos brasileiros, Cauã + Isis + Grazi são amadores de triângulos amorosos.
É muita baixaria, meu povo.

Hoje mesmo, pelo Facebook (porquê, né? eu não leio revista de fofoca, claro!) recebi a notícia que mudaria o curso do meu dia.
Katie Price, que na verdade se chama Katie alguma coisa tem 4 filhos e descobriu semana passada aos 6 meses de gravidez que está esperando seu quinto filho (de 3 pais diferentes).
Hoje, ela anunciou no Twitter, que está se divorciando do terceiro marido porque descobriu que ele estava tendo um affair de 7 meses com sua melhor amiga.
Melhor amiga.
Seu penúltimo marido, com o qual ela não teve filho, se vestia de mulher enquanto eles mantiam relações sexuais e tinha até um nome fantasia, tudo isso foi revelado enquanto eles ainda estavam casados.
Pra te ser bem sincera, não faço a mínima idéia do interesse do público pela vida dela, já que ainda não descobri qual seu talento além de se casar com quem cruza seu caminho e de fazer cirurgia plástica até na orelha.

Outra que não sai das capas de revista é a Kerry Katona (perceberam que todas as aparecidas começam com a letra “K”, né?). Essa fez parte de um grupo Pop, na época em que eu era virgem, ou seja, faz muito tempo, mas mesmo o grupo tendo acabado, não saiu dos holofotes, se casou mais umas 3 vezes e acabou de ter o quinto filho. A uns 2 anos atrás deu uma entrevista ao vivo onde ela estava visivelmente drogada, teve 2 filhos com um motorista de Taxi que era seu provedor de cocaína e que enquanto estava casado com ela vendeu aos jornais um video da mulher usando drogas. A parte do efeito sanfona que é a vida de Kerry, dos ups and downs da sua vida financeira e da briga dela com os pais de seus filhos a renderam um reality show.

O que eu tenho percebido nesses anos morando por aqui, é que pelo fato de não existir novelas como no Brasil (que vamos combinar, produz baixaria em larga escala), são sempre as mesmas pessoas no holofote. 
Se você acha que no Ego, Globo.com e similares só da notícia de sub-celebridades, deveriam dar uma olhada nas comercializadas por aqui, só dá, com raras exceções, ex-participantes de reality show.
Seria cômico, se não fosse trágico.
Mas ó, a vida desse povo faz a nossa parecer muito calma, pra ser verdade.
Facebook Comments

3 Comments

  1. Oi Ká li até o final, mas esperando o comentário da foto ao lado..foto das crianças na Africa, merece mais um post…bjs…Ah!!!!! essa vida vazia dos realittyssssssss….bjs

  2. Se todas as aparecidas começam com "k" o que dizer do meu nome composto e com dois "K"? hahahahah

  3. Oi Karine
    Gostei do post e das observações. O duro aqui no Brasil (dos valores invertidos) é que estas subcelebridades acabam virando referência entre os jovens como heróis ou exemplos de vida…
    Bjs

Deixe uma resposta