Quem vai rir por último ?

Eu não conheço esse tal de Bruno, (ex)goleiro do flamengo (passarei a piada devida as circunstâncias) e pelo que parece, ninguém conhecia.

Faz um tempo, lendo alguma matéria por aí que dizia que todos somos assasinos em potencial, discordei.
É claro, que no calor de uma discussão ou até mesmo por legitima defesa podemos agir passionalmente, ou seja, por impulso, o que não deixa de ser crime, mas que pode ser atenuado devida as circuntâncias, já o que esse cara fez, foi mais, foi além, foi cruel e premeditado.

“No final, eu vou rir disso tudo.” , sério, se eu achava que ele era inocente, depois dessa declaração(uma das primeiras que ele deu sobre o caso) ele assinou a convicção, como um cara de caráter, pode pensar em rir depois que supostamente algo trágico tenha acontecido com a mãe de um suposto filho?

Li várias reportagens onde reporteres tentavam  encontrar uma justificativa (na minha opinião, sem sucesso)sobre as possiveis causas do comportamento agressivo e conturbado desse cara.
Não podemos negar que o fator familiar influencia na vida de uma pessoa, mas nem sempre essas influencias são negativas, ter tido uma infância difícil deveria ser mais uma razão para ele valorizar o que a vida lhe reservou, afinal, não é todo mundo que ganha 200 mil reais por mes, fazendo o que gosta, tendo filhas saudáveis e saúde, certo?

O problema é que a sociedade sempre tende a passar a mão na cabeça dos “fracos e oprimidos”, dos pobrezinhos, dos filhos de pais separados, a gente só esquece que na maioria das vezes os oprimidos e fracos também fazem  vítimas , e o escambau com direitos humanos, todos os envolvidos deveriam ser atirados vivos para os cães.

Que Deus guarde essa criança, que o pai seja  para ele um exemplo do que não ser e que o rótulo de “fraco e oprimido”, ele dispense e seja feliz.

Facebook Comments

9 Comments

  1. Eu sou órfã de mãe desde os 2 anos de idade e vivi sem o meu pai até os 19 anos. Nunca sequer experimentei drogas porque acho que deus me deu essa vida para que eu mostre ao mundo (ou ao menos a parte dele que me cabe) que os "fracos e oprimidos" são, talvez, mais fortes do que os que sempre acreditaram em contos de fadas.

    NINGUÉM tem o direito de escolher se uma pessoa, ou um animal, deve viver ou morrer.
    Pena que o ser humano, em meio ao seu livre arbítrio, escolhe brincar de deus das formas mais cruéis.
    E quantos Brunos existem pelo país e jamais saberemos qual será sua frase cheia de petulância?

    Infelizmente, em histórias como esta ninguém poderá rir, nem mesmo ele que se achou inatingível.

    Espero sim que haja justiça dos homens que faça com que esse homem, e qualquer outro tão frio e calculista quanto ele, pague pelo menos um pouco o sofrimento de um pai órfã de sua filha e um filho órfão de sua mãe, tudo de uma forma brutal.

    E nós, apenas assistimos, mudos e arrasados, rezando para que nós ou nossas famílias não descubram como é esta dor, e esperando para ver quando chegaremos ao cúmulo de ver alguém rindo de um crime tão mesquinho.

  2. A única parte 'positiva' dessa história é que acharam a criança antes que ela tivesse o mesmo fim que a mãe.
    E o pior é ainda ver gente defendendo ele, o goleiro herói do flamengo, 'nunca que ele faria algo assim, e se fez foi pq ela mereceu'.

    Quem merece morrer, ter a mão decepada e jogada pra cachorros? Absurdo.

  3. Ai,Ka…Esse caso me dá náuseas 🙁

    Essas declarações dele então, só demonstra como é uma pessoa ignorante.

    E quem vai crescer com um estigma é esse bebezinho, inocente, q não escolheu o pai q tem.

    Mudando de assunto, já voltou pra casa ou ainda ta na Turquia?

    Puxa aqui em Istambul choveu por uns dois dias, não sei como estava o clima em İzmir,tomara q mais aberto. Espero que tenha gostado(ou esteja gostando)!

    Beijos

  4. Casos como esse acontecem diariamente com mulheres brasileiras vitimas de uma sociedade machista e violenta..
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/765249-ministra-lembra-casos-mercia-e-eliza-e-diz-que-violencia-contra-a-mulher-e-diaria.shtml

  5. Sra. Rosinha ;^), eu acho que todos somos passíveis de cometer algum delito, mas não assassinato. No caso de legítima defesa, não é crime, desde que você tenha reagido proporcionalmente à agressão. Ou seja, se alguém te atira uma pedra, você não pode revidar com uma bazuca. Sobre a violência contra mulheres,é algo alarmante no Brasil.Acontece um assassinato por dia no Rio, segundo notícia do JN.Isto é sintoma de sociedade primitiva, medieval. Este rapaz ser ídolo do Flamengo é a própria decadência do esporte brasileiro, uma vez que ele sempre teve desvio de conduta. Enfim, "nada se constrói na desordem". Mudando o rumo da prosa, espero que esteja aproveitando a lua de mel! Bjos!Márcia de Noriê

  6. Ká, penso igualzinho a você, sem tirar nem por.
    Beijo beijo

  7. CONCORDE DEMAAAAAIS KKKKKKKKK
    depois assite esse video aq
    MUUITO bom

  8. Sou filha de pais separados, ja vivi coisas que Deus ate duvida, isso so me deu forcas pra sair adiante e tentar ser melhor em tudo. Na vida a gente tem a escolha do bom e do mal, todos nos temos. Pessoas como o Bruno, merecem o castigo divino! O tipo de castigo que ate na seguinte vida ele vai ter de pagar. Deus abencoe o espirito da moca, o futuro dessa crianca, e todos voces que escolhem o bem sob o mal. Beijos!

  9. Triste eh saber que isso eh recorrente. Ja aconteceu antes e vai acontecer de novo, de uma forma ou de outra. Eh como vc disse… nao interessa o background da pessoa. Acho que a ruindade ta no sangue de muita gente… bjosss

Deixe uma resposta