O Bilinguismo e minha falha.

Ultimamente muita gente tem me pedido para escrever um post sobre as minhas kids e o bilinguismo.

Pois bem, falarei sem rodeios, sem desculpas esfarrapadas e com dor no coração: aqui em casa só quem fala e escreve em duas línguas sou eu e o Breno.

É difícil admitir que fracassei na introdução do português na vida da Chloe e se existe um arrependimento nesses meus quase 13 anos na vida materna, é esse.

Eu poderia te enganar (ou me enganar) se eu quisesse, afinal, ela sabe cantar TODAS as músicas da galinha pintadinha, assiste dvds da Turma da Mônica por horas, “lê” os milhares gibis do irmão, responde em inglês a algumas perguntas feitas em português, mas ela não consegue estabelecer uma conversa, não fala por livre e espontânea vontade e demonstra pouco interesse em aprender.

Quando estava grávida dela, conheci uma pessoa e ela só falava em inglês com o filho, eu achava aquilo a coisa mais errada do mundo, óbvio.
Afinal, “como assim ela não ia ensinar sua primeira língua?” Não podia ser tão difícil, devia ser preguiça, aliás, só podia ser preguiça.
E que “absurdo” era aquele de falar com ele com sotaque, cometendo pequenos erros gramaticais?

Aí, como sempre acontece quando a gente julga alguma coisa sem saber sobre ou sem ter passado por isso, eu paguei a língua e tive a Chloe que aos 2 anos e 3 meses não falava nem Mamãe, foi quando escrevi esse post aqui.

Sem querer jogar para outra pessoa -um erro que acho que foi totalmente meu- confesso que me senti pressionada pelo Rosinha e pela a minha sogra a deixar o português “de lado” e focar no inglês, até pelo menos ela “deslanchar”.

Coincidência ou não, ela começou a falar e a introdução ao português foi ficando cada vez mais distante com a entrada dela na creche e não preciso dizer que isso dificulta demais a minha vida, principalmente quando vamos ao Brasil ou quando meus pais estão aqui, eles não se entendem, não conseguem se comunicar.

Nas últimas vezes que fomos ao Rj, a minha sobrinha que tem 6 anos, perdia facilmente a paciência com ela quando elas brincavam e a Chloe era facilmente trocada por outra kid.

MORRO de medo do futuro, porque sei que ela vai me cobrar isso mais tarde.

Todos sabemos que no mundo atual, ter mais de uma língua é vantagem em muitas áreas da nossa vida, principalmente na profissional.

Mas não pense que lavei minhas mãos e a situação vai ficar por isso mesmo.

Com a Mia tenho feito diferente, eu e Breno só falamos com ela em português e tem sido sucesso, tanto que ela só me obedece, já que todos os “comandos” são dados por mim em português, principalmente o “Não pode!”, “Você vai se machucar!”, “Desce daí!”, mas cometo deslizes principalmente quando o Rosinha, que continua sem falar português, está por perto e quero inclui-lo nas nossas conversas, acho que no final das contas 90% do tempo falo na minha língua e a Chloe tem entendido bastante coisa, quase que aprendendo por osmose o que eu não ensinei da maneira adequada.

A minha opinião sobre o assunto é que pra mim não é tão fácil como se imagina apertar o botão do port/ing na nossa cabeça quando tudo em volta é em inglês, mas acho que vale sim MUITO a pena se esforçar,
cometi um erro, erro grave, mas acho que ainda tenho tempo de corrigir.
Poderia dizer aqui que a Chloe entende só não fala, mas não, ela não entende TUDO e fala muito pouco (umas 20 palavras) em português.

A minha esperança é que sei como as kids aprendem rápido, já que tenho o Breno como parâmetro de alguém que aprendeu a segunda língua em 3 meses, tenho certeza de que se passássemos mais do que as 2 semanas habituais que sempre passamos no Brasil, isso facilitaria as coisas, ou se o Rosinha também falasse português…mas já que hoje não dá, tenho que contar comigo mesmo e com minha astúcia para reverter esse quadro, né?

Afinal, elas também são brasileiras e brasileiros falam português.

Observação:
Algumas situações sem dúvida facilitam a vida da mãe da kid bilingue, como por exemplo, o casal ser brasileiro, é muito complicado querer incluir o parceiro que não fala português em uma conversa e não poder, sei que muita gente que não tem filho, ou vive em uma casa de uma língua só não consegue entender as dificuldades que um casal multi-cultural passa, acho até que quando o marido tem facilidade ou interesse em aprender também a língua, isso facilite, o que infelizmente não é meu caso.

Facebook Comments

26 Comments

  1. Ainda da tempo.Eu falo portugues com Noah mas sem pressao. Muitas vezes sinto q ele n entendeu 1/3 do que falei, e repito em alemao. Acho que evita um pouco a frustracao por parte dele. Com o nascimento de theo ta bem mais facil. Como falo port com theo, noah aceita mais e ate se arrisca com umas frases pequenas. O esforco valerá a pena ( vejo isso nos olhos dos meus pais a cada dialogo correspondido com o netinho amado)

  2. Ká, e se vc e o Breno só falassem com as meninas em Port? Minha amiga faz isso, mas ele e o marido são brasileiros e desde que o boy dela naseceu, so falam port. qd as pessoas perguntam do Inglês ela diz: ele vai aprender na escolinha. Msm que vcs falem port e elas respondam em ingles, já é um avanço ne?

  3. Não se culpe demais. Reconheceu a falha, pronto, já foi. E não desista, por mais infrutífero que pareça, a princípio. Quem sabe o Rosinha não se anima e aprende algo em português também????
    Bjoo

  4. Oi Ká, calma a Clhoe ainda vai surpreender vc, agora é preciso se esforçar um pouquinho mais e procurar sempre falar com ela em português, assim como o Breno aprendeu rápido Inglês ela vai tb aprender português…depende de vc e do Breno…bjks pra vcs.

  5. Karine, antes de ser mae eu achava que essa coisa de bilinguismo era fácil e só conviver era garantia de fluência. Na prática foi bem diferente. Beatriz nao falava nada, nem português nem sueco. Fui parar no fonoaudiólogo cheia de dúvidas e só depois me acalmei. Segui os conselhos dele, continuei no português em casa, passei semanas no Brasil, e hoje ela tem a capacidade de falar os dois idiomas. Isso só aconteceu depois dos 3 anos, entao, o desenvolvimento foi mesmo mais lento que de outras crianças no quesito linguagem. Eu acredito que deixar a língua portuguesa é uma das maiores heranças e tenho certeza que você conseguirá deixar para todos os seus! Beijos e parabéns pela humildade!

  6. Eu moro nos Estados Unidos,mas meu marido e brasileiro. CLARO que isso facilita. Mas esse fim de semana estava conversando com uma amiga casada com americano e ela so fala portugues com os dois filhos. Eles falam, claro,com sotaque e errado,mas falam e entendem tudo. O pediatra aconselhou ela a nao misturar, ela so fala port com eles e o pai so ingles…e as criancas sabem quem fala o que. Nao se culpe e nao se condene, mas se fosse eu começava JA com as duas a so falar portugues!!!!!!! Boa sorte. Beijo

  7. Até que enfim encontrei alguém com a mesma dificuldade que eu tenho. Ufa, achei que eu fosse o ponto fora da curva.
    Meu marido não fala português e eu me sinto muito mal falando português com a minha filha de 2 anos e 1 mês na frente dele. Sinto como se a gente tivesse falando um segredo que nao quisesse que ele soubesse, sensacao super estranha. Fora que eu as vezes estou chamando a atencao dela e quero que ele ouca e reforce o que eu estou falando, mas se eu falar em portugues ele simplesmente vai ignorar. Dai tenho que chamar a atencao dela em portugues, e traduzir para ele (o que ao meu ver parece trabalho de louco fazer isso no dia-a-dia).
    Sinto-me super confusa, e tenho certeza de que ela tb fica confusa.
    Até os 1 ano e 11 meses eu misturava tudo (falava ora em ingles, ora portugues) e ela nao falava quase nada, daí há 2 meses comecei a falar só portugues e liguei o botao ignore para o meu marido. Simplesmente o que aconteceu foi que ela está se desenvolvendo super bem que até me assustou. Coincidencia ou nao, eu acho que essa onda de a mesma pessoa falar duas linguas (sem manter uma coerencia) acabou atrapalhando e atrasando sim (sei que os estudiosos de bilinguismos nao concordam com essa minha afirmacao, mas essa foi a minha experiencia real).
    E nunca é tarde, estou tentando corrigir o meu erro e nao fico me torturando.
    Afinal, como vc disse acredito que ensinar o bilinguismo tendo marido/mulher com linguas diferentes é tarefa complexa e dificil. Só quem vive é quem sabe como é complicado!
    Marieli

  8. Nossa Karine que situação difícil heim miga! rsrs (olha só a pessoa com intimidade), deve ser mega blaster ultra complicado pra vc, por todos esses motivos que vc citou. Só que acho que dá tempo viu, então é só vc e o Brenitos ir intesnsificando com ela o portuguese, uma boa idéia, seria vc e o Breno, ( o Breno com todo amor que tem por ela), estipularem uma vez na semana brincarem de escolinha, com lousinha e tudo igual a gente faz no brasil. Cria uma cartilha com palavras tipo foto da maçã , escreve maçã e por aí vai…. miga corre que dá tempo e se joga no portuguese… beijossss

  9. Que bom que voce nao desistiu. E que bacana voce vir aqui e assumir seu 'erro'. Voce eh grandiosa. Acho que a sorte aqui em casa eh que o marido exige que eu so fale Portugues com a Sofia, mesmo ele ficando de fora. 🙂 Boa sorte.

  10. Nao se preocupe nem se crucifique, porque como voce disse, crianca aprende rapido sim. Minha mae foi coordenadora de uma escola americana e ela viu varias criancas aprenderem portugues e/ou ingles do nada – em um ano eram mais do que fluentes. Nunca e tarde para comecar. Tento falar o maximo possivel com minhas filhas em portugues, mas tambem cometo deslizes, porque ela fala 90% das coisas em ingles e eu acabo interagindo em ingles por instinto. No nosso caso, ainda tem uma 3a lingua, romeno, lingua do pai, que insiste em soh falar ingles em casa – os avos paternos nao falam nada de ingles nem de portugues, entao imagina o caos que fica a casa quando eles vem pra ca. Mas Laura aprende rapidinho e pode nao falar muito, mas entende tudo com apenas um mes de convivencia. Acho que vou ter problemas eh na hora de "alfabetizar", sou pessima professora.

  11. Sempre há tempo 🙂

    Tudo vai dar certo no final, com a Mia e o Breno falando português com certeza a Chloe vai aprender tb, ai com a Amy vai ser moleza 🙂 só o pobre do Rosinha que vai ficar boiando quando todo mundo desandar falar português rs!

    Bjo

  12. Meu marido tb não fala português e sou muito cobrada por isso, como se fosse uma esposa desnaturada. E sempre penso que se e quando tivermos filhos, sera muito dificil para mim ficar trocando de idioma. Não sei como fazer. Os casais "mistos" que conheco com filhos, e sao muitos, a brasileira fala em portugues com os filhos enquanto o pai fala na lingua estrangeira, mas a crianca geralmente começa a falar muito tarde e soh responde na lingua do país em que vive. Esse tema é muito complicado e particularmente não vejo nenhum culpado.

  13. Na minha casa minha mãe é brasileira, meu pai é uruguaio, e tanto eu quanto meus irmãos fomos criados no Uruguai até adolescentes. Vez por outra quando era criança minha mãe convidava com um: "vamos falar português?" e era uma brincadeira só, amávamos. Mas era uma brincadeira esporádica, não o tempo todo. Quando comecei a escrever, ela me encorajava a escrever cartas em protuguês para meus avós (pais dela). Quando os visitávamos em São Paulo, era português. Minha mãe pedia para seus parentes que falassem normal, e nós faziamos o esforço para nos comunicar. Compravamos livros e gibis em português, minha avó nos enviava também. Isso foi muito útil quando mudamos para o Brasil (todos adolescentes, eu já para entrar no cursinho) e contou muitos pontos na nossa adaptação. No Brasil minha mãe teve mais uma filha, que foi criada numa casa onde falamos espanhol entre nós, e português com o resto do mundo. Pelos 3-4 anos, ela entrava em qualquer conversa em espanhol, interrompendo em português e mostrando que tinha entendido tudo, mas não falava uma palavra e ficava até com raiva de espanhol, por isso minha mãe não forçou nada. Mas pelos 6 anos começou aos poucos a arriscar palavras, musiquinhas, e em pouco tempo já levava altos papos com a "abuela" no telefone (a mãe do meu pai, no caso). Claro que ajuda o fato de que ela é uma tagarela das melhores que já vi. Ainda falamos espanhol dentro de casa, por ser a maneira mais natural de nos comunicarmos, e português quando nos dirigimos a ela, também por ser o jeito mais natural. Desculpa o comentário imenso, acho que me excedi. Rsrs. Mas queria compartilhar pois cresci com essa "bilinguidade" toda. Ah, como adultos todos nós somos muito interessados em línguas, e aprendemos com facilidade.

  14. É questão de prática. O filho do meu namorado nem mora com a gente e fala um pouquinho mais português que a sua filha, pelo que vc falou. Mas meu namorado já fala bem português, pq ele se esforça pacas para aprender, repete tudo o que eu falo e me pergunta como se fala, então o filhote dele aprende tbém, apesar de só passar 2 dias por semana com a gente. Criança aprende só de ouvir. Casa bilíngue é tudo de bom!

  15. Mulher fica tranqüila que ainda dá tempo ela é nova e com você e o Breno falando portugues com ela ela aprende rapidinho. Criança é muito esperta e aprese rápido. Qualquer coisa leva ela pro Brasil e deixa ela lá por um mês pra um intensivão com os avós.

    Nada que a gente faz com amor e por amor as nossas crias é errado.

    Boa sorte!! xx

  16. Gata, relaxa! Tenho certeza que vc é uma otima mae e mesmo nao tendo filhos, sei exatamente do que se trata. Aqui em casa o negocio vai ser bem mais complicado, mas pelo q ja estudei, li e experimentei, as kids sao muito mais inteligentes e as coisas sao muito mais faceis, nos que complicamos hahahha
    Se vc esta falando em portugues com a Mia – bingo! E sim, a Chloe tem 99% de chance de aprender por osmoze haha mas introduza ela ä conversa, mesmo que vc tenha q repetir em ingles no começo. qto ao Rosinha estar por perto, o mais indicado é vc usar o ingles mesmo. As crianças super assimilam essa diferen;ca de: minha mae fala portugues, meu pai: ingles e qdo estamos todos juntos: ingles. Entao manda ver e boa sorte! 🙂 xx

  17. Gata, relaxa! Tenho certeza que vc é uma otima mae e mesmo nao tendo filhos, sei exatamente do que se trata. Aqui em casa o negocio vai ser bem mais complicado, mas pelo q ja estudei, li e experimentei, as kids sao muito mais inteligentes e as coisas sao muito mais faceis, nos que complicamos hahahha
    Se vc esta falando em portugues com a Mia – bingo! E sim, a Chloe tem 99% de chance de aprender por osmoze haha mas introduza ela ä conversa, mesmo que vc tenha q repetir em ingles no começo. qto ao Rosinha estar por perto, o mais indicado é vc usar o ingles mesmo. As crianças super assimilam essa diferen;ca de: minha mae fala portugues, meu pai: ingles e qdo estamos todos juntos: ingles. Entao manda ver e boa sorte! 🙂 xx

  18. Tenho o mesmo problema aqui em casa, quando vejo já estou falando inglês. Eh uma super vantagem pra eles eu sei, mas eh difícil mudar de um idioma para o outro. O aj super me enche o saco pra falar português com eles, mas não eh fácil. To contando com a temporada q vou passar no Brasil pra mudar de vez e falar principal ente português com eles. Mas tranqüila ainda ta a tempo! 🙂 x

  19. Oi karine, leio seu blog há um ano, mas nunca comentei nada por aqui. Achei seu blog procurando sobre relatos de crianças bilingues, pois comecei a trabalhar numa escola bilingue e queria entender um pouquinho dessa realidade. Nem preciso dizer que fiquei encantada com o blog, seu estilo de vida e seus filhos lindos e sim…o fato de voce morar nesse país maravilhoso que é a Irlanda. Acompanho desde então. Adorei o seu post sobre bilinguismo e por ja estar vivenciando essa realidade há um ano (no ambiente escolar) eu fiquei querendo te falar um pouco do que eu observo:
    1. Crianças são esponjas, elas absorvem tudooo!! Quando a gente menos espera aquela criança já entende tudo e só precisa de um empurraozinho.
    2. Muita gente usa a tática de: one parent, one language. Ou seja, o rosinha só fala com as crianças em inglês e você só fala com elas em português e quando estiverem todos juntos vocês falam em ingles, com o tempo ela vai perceber que quando está com você é somente português. Que tal brincar com ela dizendo que acordou diferente, que agora você só sabe falar e entender em inglês quando o papai está junto e que a partir de agora só vai falar em portugues com ela e com os irmãos quando o papai não estiver em casa?
    3. Não ache que ela não conhece a lingua porque não fala, ela pode ser apenas uma criança bilingue passiva, onde ela ainda só entende, mas não se sente segura para falar.
    4. A Chloe tem 4 anos? Se for essa a idade dela não se aperreie pelo fato dela ainda não ser alfabetizada em portugues. Quando ela se tornar uma bilingue ativa ai você pode começar a introduzir a leitura e a escrita no portugues aos pouquinhos até porque o portugues falado faz muito mais sentido na hora de escrever do que o inglês. Mas é importante esperar ela se alfabetizar em inglês primeiro. Que tal pedir a vovó brasileira para mandar algumas historinhas em portugues pelo correio e você ler junto com ela todos os dias antes de dormir?? Temos grandes autores que você poderia procurar como: eva furnari, ruth rocha, ana maria machado… Algumas historinhas em ingles poderiam ser traduzidas pro portugues por você ou pelo breno. 
    5. Que tal marcar um dia na semana para falar com os avós do brasil somente em portugues? 
    É interessante ensinar a elas uma outra lingua de uma forma lúdica e natural. Não será dificil, lembra que crianças são como esponjas?? Beijos, Priscila

  20. Ka, também somos um casal multi-culti, mas meu marido nesses 6 anos que estamos juntos para a minha alegria fez questao de aprender português. Agora estou grávida do 1° filho e já estou sentindo que na prática nao é tao simples, volta e meia me vejo falando em alemao com a barriga quando meu marido está perto.
    Tem um site chamado brasileirinhos que fala sobre bilinguismo, achei várias informacoes importantes por lá.
    Boa sorte pra gente 🙂
    Bjs,
    Elisa

  21. Adorei o post, e imagino a dificuldade ja que mesmo pra casais brasileiros nao e facil, as vezes cansa ficar falando 2x ou pedir a crianca pra repetir em portugues o que vc ja entendeu em ingles. Tudo vai dar certo, nos fazemso brincadeiras em portugues com a nossa filha e ela adora. daqui a algumas semanas nasce a primeira canadense da familia, e eu sei que vai ser outro desafio, mas vamso que vamos.

  22. Introduz ela nas aulas de portugues e cultura brasileira na AMBI, por enquanto eh so uma vez por mes, o suficiente para ela conhecer outras criancas da idade dela, com brincadeiras legais e que falam portugues, logo ela se interessera pela lingua para poder falar com os novos amiguinhos. Aqui em casa Annalua comecou a falar cedo, ela hj tem 18 meses e entende tuuuudddooo nas duas linguas, pelo menos 2 vezes por semana ela conversa por skype com os priminhos, tios avos no Brasil e entende eles, fala na lingua dela q nao eh nem portugues nem ingles mas ela faz-se entender afinal, ela fala algumas palavras inteiras e outras meias. Meu marido, como o seu nao tem interesse em aprender o portugues, mas agora ele esta sendo forcado a aprender algumas coisas para entende-la. Eu adoro ver que ele agora "come apertado" para conversar com ela. Outra dica que eu daria seria introduzi-la a alguma amiguinha brasileira com quem ela possa brincar pelo menos de vez em quando. Funciona com todas as mamaes da AMBI que conheco, eles tem otimos amigos na escola mas sempre perguntam pelo amiguinho brasileiro com quem eles falam portugues. E aproveite para fazer isso antes que ela complete 6 anos (se eh q ela ainda nao tem), pois apartir dessa fase eh muito mais complicado, eles tendem a rejeitar a segunda lingua por causa da escola. Por isso tao importante ter alguem (alem da familia) que os influencie a falar a segunda lingua.

  23. Introduz ela nas aulas de portugues e cultura brasileira na AMBI, por enquanto eh so uma vez por mes, o suficiente para ela conhecer outras criancas da idade dela, com brincadeiras legais e que falam portugues, logo ela se interessera pela lingua para poder falar com os novos amiguinhos. Aqui em casa Annalua comecou a falar cedo, ela hj tem 18 meses e entende tuuuudddooo nas duas linguas, pelo menos 2 vezes por semana ela conversa por skype com os priminhos, tios avos no Brasil e entende eles, fala na lingua dela q nao eh nem portugues nem ingles mas ela faz-se entender afinal, ela fala algumas palavras inteiras e outras meias. Meu marido, como o seu nao tem interesse em aprender o portugues, mas agora ele esta sendo forcado a aprender algumas coisas para entende-la. Eu adoro ver que ele agora "come apertado" para conversar com ela. Outra dica que eu daria seria introduzi-la a alguma amiguinha brasileira com quem ela possa brincar pelo menos de vez em quando. Funciona com todas as mamaes da AMBI que conheco, eles tem otimos amigos na escola mas sempre perguntam pelo amiguinho brasileiro com quem eles falam portugues. E aproveite para fazer isso antes que ela complete 6 anos (se eh q ela ainda nao tem), pois apartir dessa fase eh muito mais complicado, eles tendem a rejeitar a segunda lingua por causa da escola. Por isso tao importante ter alguem (alem da familia) que os influencie a falar a segunda lingua.

  24. Engraçado que só com mães brasileiras é que vejo esta culpa, como se a nossa língua não tivesse valor. Como moro num bairro de estrangeiros, vejo uma coisa linda. O russo que fala em russo com a mãe e simultâneamente o outro idioma com o pai, e assim é entre os turcos, chineses, poloneses, menos com brasileiros. Acho pena. A maioria aqui ainda tem uma boa consciência, porém algumas mães brasileiras que conheci acham desnecessário o filho aprender o português porque simplesmente não moram no Brasil. Muitas querem apagar o seu passado e ignorar a língua é um meio. Triste, né? Boa sorte pra vc com seus filhos! Eles têm o direito de aprender uma língua que faz parte da história deles. Vá em frente!

  25. Realmente, Ká, quando o casal é brasileiro, facilita bastante. Mas, entendo seu dilema, deve ser difícil mesmo. Acontece o mesmo aqui, quando o casal é multi-cultural, acabam optando pela língua mais "útil" para a criança.
    Experimente ler pra ela livros em português na hora de dormir. Livros bem ilustrados podem cativar sua atenção. E sempre que der, coloque DVDs de desenhos brasileiros na telinha. Vai dar certo.
    Beijos!

  26. Oi… eu sou rosana, moro em israel a quase 10 anos casada com um israelense. eu ainda nao tenho filhos e ja tenho essa mesma dificuldade ja q ninguem na minha familia (mae irmaos..) nao sabem hebraico, e nem ingles p flar com ele. E meu marido nao tem nenhum interesse em aprender portugues…dai eu tenho q ser tradutora tda hora. qndo eu vou ao brasil geralmente eu vou sozinha pq a diferenca linguistica e cultural e mto grande e eu sofro mto com isso…qndo minha familia vem p ca e um horror. nenhum dos lados colaboram…e por acaso encontrei seu blog flando do assunto e eu amei! parabens!! e concordo com vc!

Deixe uma resposta