Sobre chegadas felizes e partidas precoces

Sobre chegadas felizes e partidas precoces

Ontem eu vivi dois sentimentos opostos em um curtíssimo espaço de tempo.
A filha da minha amiga nasceu.
E uma amiga de infância morreu.
Assassinada, covardemente, do outro lado do mundo, na Austrália.
E isso mexeu comigo.
Uma morte principalmente precoce de quem a gente conhece, sempre mexe com a gente, né?
Mas quando eu penso que nos últimos 10 anos, em que ela morou fora, ela esteve longe da família, mexe ainda mais.
E eu penso nos pais dela, no irmão, nas amizades que ela conservou e em todos os eventos que ela perdeu, que ela deixou de dividir com os seus.
E eu penso em mim.
E penso em nós.
Expatriadas, que saímos do Brasil, sem ter certeza se será aquela a última vez que abraçaremos nossos pais, irmãos e queridos.
Por mais que eu tenha construído uma família maravilhosa aqui.
Por mais que meus filhos sejam irlandeses, que meu marido seja irlandês, que a Irlanda tenha me acolhido de braços abertos e coração pulsante, eu não pertenço 100% a esse lugar, nunca mais pertencerei 100% a lugar nenhum e esse é o preço que a gente paga quando passa a ser cidadão do mundo.

Eu estou em choque.

Penso nos planos em que ela, grávida do primeiro filho aos 35, fazia.
E penso no que teria sido a vida dela, se ela ainda morasse no Brasil.
No que a mãe dela teria dito, se pudesse falar-lhe, pela última vez.

Eu não apoio relacionamentos abusivos, me intrometo na vida de amigas que se sujeitam a tudo, ou quase, pra não ficarem sozinhas, posso parecer até insensível, mas é que cada vez mais a vida tem me mostrado que relcionamentos baseados em dependência emocional, ciúmes, falta de cumplicidade, não é amor, é outra coisa, qualquer coisa, menos amor.
E que sim, acredite, você pode ser a próxima vítima.

E no fim das contas, sei lá se “O mundo é grande demais para se nascer e morrer no mesmo lugar” .

Que sua passagem seja de muita luz, Fabiana.

Facebook Comments

9 Comments

  1. Sinto muito pela sua perda!! E sempre triste uma morte, e ainda mais triste, quando acontece de forma violenta!! Tambem moro fora do Brasil, e as vezes me pego fazendo esses mesmos questionamentos que vc, mas muitas vezes fazemos escolhas dificies em prol de algo maior ! Mesmo quando erramos em nossas escolhas, na verdade tentavos algo bom! Que a paz esteja com todos os amigos e familiares!

  2. Meus sentimentos Ká…você é a segunda amiga de infância dela que eu vejo se declarar hoje. Fiquei muito chocada,pelo que entendi, ela era de JPA no RJ certo? Tenho tantos amigos por lá…penso que poderia ser comigo, ou com qualquer um deles. Não consigo entender o que passa na cabeça de uma pessoa para fazer algo assim, em especial com a esposa grávida. Só me resta orar muito para ela, pela família e mais ainda por esta alma perdida que acabou com a vida de todos. Forte abraço.

  3. Nossa! Sem palavras! Que a passagem dela seja de luz!

  4. Nossa, Ka! Sinto muito. Me emocionei muito com esse post e me identifiquei como expatriada. Força nesse momento e continue a cumprir seu papel de amiga lúcida que, com certeza, todas nós precisamos de uma! <3

  5. Muito triste Karine, eu sinto muito pela perda. Me fez refletir tambem. Nao tenho palavras pra dizer o que sinto soh de imaginar isso acontecendo com alguem que nao conheco, imagine se fosse uma amiga, filha, prima… muito trsite mesmo, sinto muito. Estarei orando por todos da familia e amigos que Deus conforte os coracoes.

  6. Ka, também sofri uma grande perda há menos de uma semana. Nessas horas a gente pensa/questiona tanta coisa, não é mesmo? Sinta-se abraçada com muito carinho. Que sua amiga vá na paz de Deus e que vc fique com ele. Bjs, Tassiana.

  7. Ka, lamento muito pela sua perda. São histórias como essas que ficam na nossa cabeça eternamente com porquês. Concordo com vc quando diz sobre relações ruins. E complemento, às vezes algumas pessoas precisam ter uma relação afetiva, não importa o quanto sofram, não importa o quão errada seja, não importa nada, apenas por não ficar sozinha. Esse é o maior erro, porque uma relação pra ser boa tem q ter amor, respeito, companheirismo, tem q ser leve, continua e feliz. Mas por vezes, só quem está de fora enxerga os defeitos e os problemas da relação do seu amigo ou amiga, porque ele está tão inserido naquela situação, tão dependente daquela rotina que não se dá conta do quão nocivo é pra sua vida. Infelizmente esses são os casos que chegam ao final como o da sua amiga Fabiana. Moça linda, que passa uma energia maravilhosa pelo sorriso nessa foto. Espero eu que ela tenha uma passagem tranquila, e que tenha tido tempo de cumprir sua missão aqui, nessa terra. Que seu acordar seja tranquilo e pacífico e que sua alma esteja pronta a perdoar esse infeliz, e seguir fazendo outras pessoas felizes, e sendo feliz.
    GOD BLESS U

Deixe uma resposta