Contar ou não Contar…

Contar ou não Contar…

E aí, contar ou não contar que Papai Noel não existe?

Se você me contasse que seu filho de quase 11 anos ainda acredita em Papai Noel eu ia te falar (mentira! não ia falar, mas ia pensarrrr….) que das duas uma, ou ele tem probleminha, ou tá te fazendo de boba, provavelmente o mesmo pensamento que você terá agora, quando eu te disser que essa é a situação aqui de casa.

O Breno acredita -de verdade- em Papai Noel e coelhinho da páscoa (mas isso não vem ao caso hoje.)
Tipo, acredita mesmo.
Piamente, sem dúvidas, sem segundas intenções e sem vergonha.
Ele e 95% da 5ºsérie (os outros 5% não celebram o Natal).

Como você pode ver, a infância aqui na Irlanda custa a acabar, não sei se isso acontece por conta da lareira de verdade, da neve que cai lá fora ou pelo estímulo das famílias envolvidas, mas Santa Claus desse lado do oceano, é coisa séria.

Eu acho que já passou da hora dele cair na real por 3 motivos:

Motivo 1:  Imagina ele chegando no final do ano no Brasil e contando para o primo exxxperto de 6 que ganhou tal coisa de Papai Noel? Vão achar que o Breno tem atraso né?

Motivo 2: Alem de estar na hora de aprender outros valores mais importantes que cercam o Natal, a lista de presentes é dobrada porque ele acha que ganha do Papai Noel e da gente, ou seja, tá na hora de acabar com a farra, olha a recessão!

Motivo 3: Não vai ficar legal na biografia de um gênio (porque meu filho é gênio, ingênuo, mas gênio) que ele foi (no passado, porque acredito que inocência passe) tão inocente assim.

Pra ser sincera só tem uma coisa que me segura de revelar a verdade nua e crua: o rosinha, que diz que vou traumatizar o menino (oi?), pois é, ele acreditou até os 12 anos, g-e-n-t-e, 12 longos anos colocando um copo de leite e biscoito de gengibre na lareira para o Papai Noel, enquanto eu, com essa idade já estava apaixonada pelo vizinho!

Mas olha, estou pensando em um método super revolucionário de revelação:
Carta anônima!
Será que o senhor meu marido vai desconfiar que fui eu, hein?
Certeza de que se ele descobrir, quem fica sem presente it’s me.
Pensando bem…melhor esperar mais um aninho, não custa nada, não é mesmo? (:

E você aí, me abraça e diz que meu filho é normal?

P.s.: Aceito sugestões de idéias geniais para revelação que deverá ocorrer no máximo até dia 28 de dezembro, ou eu não me chamo Karine, a destruidora dos sonhos infantis…Muahhhhh

.

Facebook Comments

28 Comments

  1. Ok, está na hora de contar.Acho lindo que seu filho nessa idade ainda seja ingênuo, ainda seja criança. Acho que o problema não está no seu filho.Mas a sociedade está tão esquisita com garota de 12 anos engravidando , que quando a gente vê uma criança de 11/12 anos criança se assusta!Eu com 13 anos brincava de barbie.Vim ter "maldade" aos 15 (ok, já sabia o q era sexo, já sabia tudo, mas sabe, maldade mesmo, acho q não sei explicar). Resultado:fui adolescente muito focada no que queria, quando amadureci amadureci e fiz tudo o q tinha q fazer, sempre me precavendo em relaçãoao meu futuro.Sem queimar etapas.E provavelmente com seu filho será assim tb!Odeio frio com todas as forças, mas estou pensando seriamente em me mudar para a Irlanda então viu?:)

  2. Ah, e que método revolucionário o quê! Senta com o moleque e conversa, conversa sobre a lenda de saint claus tb, e já dá par aintroduzir junto o espírito de natal, de doar, de solidariedade…tudo de uma vez só!

  3. ….Não conte, deixe que ele descubra naturalmente…essa é a melhor tática, sem traumas…comece deixando ele descobrir "sem querer" o papel de presente a vista dele, vai deixando assim algumas dicas mas sem forçar…

  4. É uma história incrível mesmo! E linda ao mesmo tempo 🙂 que bom saber que ainda existem crianças de 11 anos! Hoje está tudo tão acelerado, que as pessoas estão perdendo um pedaço de suas infâncias ( que já é tão curta!). Acho que o Breno, quando for um adulto, vai lembrar disso tudo e ficar muito feliz por ter estendindo a infância dele, e por ter acreditado em Papai Noel por tanto tempo.
    Se fosse você não contaria nada agora. Deixaria ele descobrir naturalmente, com outras crianças ou ainda espiando durante a noite e vendo você ou o Rosinha colocando os presentes perto da árvore, como acontece com muitas crianças. Ou se tiver que contar, conte em outra época do ano, deixe ele curtir esta magia do Natal mais uma vez 😉

  5. Ká, não conta. Deixa que lá no Brasil alguem da idade dele (ou menor!) se encarrega e ele vai lembrar pra sempre da pessoa e não de vc como destruidora de crenças! Eu lembro direitinho o dia que descobri que o tal papai noel, era, na verdade, minha bisavó disfarçada. Vi o relógio dela e tenho essa visão até hoje guardada na memória…

  6. Amiga, deixa ele descobrir sozinho, acho que menos traumático. Se bem que ele vai dizer que você mentiu pra ele e jogar na sua cara eternamente. haha. Beijos
    PS Daqui há doze anos você me conta como resolveu o problema 😉

  7. Haha, sensacional. Deixa ele aproveitar ate nao poder mais. Me disseram logo de cara que ele nao existia e nunca curti natal… deixa ele viver na ilusaooooooo!

  8. Claro que ele é normal. Se os amigos na escola não acreditassem ele seria sacaneado, e se continuasse acreditando aí sim seria um problema. Eu se fosse você não contaria, uma hora ele vai perceber. E explica pra ele que a recessão pegou o papai noel também, que tem que dar presentes pra todas as crianças. Se ficar louca de ansiedade, conversa com ele e conta. Mas eu acho que jajá ele percebe por conta própria.

  9. Haha. "Coloca sua boca sob o nariz, puxa o catarro e cospe". Adorei a ideia e vou tentar, sim… e ela ja vomitou na minha boca, entao… to de boa com a nojeira. Beijao e obrigada!

  10. E ele?? Não lê o seu blog?

  11. rsrsrsrs boa Ká ele n lê seu blog ? acho que agora nao vai poder + lê rsrsrs… olha eu acreditei ate uns 5 anos + fingi acredita (e muito bem) ate uns 10 pra nao acabar com a brincadeira das minhas irmas + novas, entao deixa ele curtir, ainda bem que vc só vai pro Brasil depois do Natal pelo menos esse ano ele tá salvo do traumo rsrsrs

  12. ah leite com biscoito de gengibre eu nao conheci poxa nao colocaram essa parte no meu Natal 🙁

  13. Hahahaha
    É claro que o Breno NÃO perde os 20 minutos que ele tem por dia na internet lendo meu blog, né meninas?
    Ele só lê o que eu mostro, normalmente quando falo dele (e quero que ele saiba que escrevi sobre)….

    beijocas

  14. Tb acho que não deve contar não! Que mal tem acreditar em Papai Noel? Não vai deixá-lo atrasado de jeito nenhum, se vc disse que no contexto dele 95% dos coleguinhas tb acreditam…
    Eu fiquei sabendo que Papai Noel não existia quando tinha uns 9 anos… Minha irmã mais velha "descobriu" e veio me contar! Lembro que foi muito trsite para mim, eu não queria acreditar, queria encontrar desculpas para acreditar que ela tinha me inventado uma história! Mas então no Natal eu observei bem todos os indicios e vi que o papai noel que vinha nos visitar todo ano era uma pessoa fantasiada! Para mim o Natal perdeu a graça depois desse dia…
    Mas por outro lado, não sei como, mas nunca pensamos que o presente que o papai noel trazia era "de graça". Na minha casa sempre soubemos que as coisas têm um valor. Minha mãe dizia algo do gênero: 'que eram os pais que pagaram os presentes e o papai noel que gerenciava a entrega e decidia quem merecia!' Então sabiamos que a tal bicicleta nova ou barbie exigiram esforços dos meus pais… Ok, agora uma bicicleta ou uma barbie não custa quase nada… Outras épocas!

  15. Well… Eu não lembro que idade tinha quando "caiu por terra" a minha fantasia de que papai noel realmente existia. E ela foi tirada de forma traumatizante. Um moleque de minha rua, que me chamou de otário por ainda acreditar. Eu quis "ir às vias do fato", sair na tapa mesmo.

    Daí quando soube que ele tinha razão, fiquei ainda mais p… da vida, porque me senti, realmente, um otário.

    Se eu tivesse um filho hoje, acho que falaria sobre o tal "bom velhinho", mas aos poucos ia explicando que aquilo era uma espécie de "alegoria" ou "fantasia" e procuraria mostrar o lado saudável disso.

    Mas aos 11 anos, sinceramente não tenho ideia por onde você deveria começar, evitando que no futuro ele se torne um "outro Agostinho", que ainda hoje é pu.. com a figura do "bom velhinho"… hahaha

  16. Agostinho, é disso que eu tenho medo!
    A gente está indo ao Brasil agora no final do ano e tenho certeza que alguém vai falar, meu dilema é, eu falo ou deixo que falem? hahahah

    beijos e desencana!

  17. Brenito tem email? Vou resolver esse problema pra vc!
    A outra opção é o Rosinha levá-lo até o pub mais próximo e ter aquela famosa conversa de homem: "Breno, é o seguinte: Papai Noel não existe. Mas existe Guinness. Saúde!!"
    Bjoca

  18. Ah q lindo! Nao conta nao…. Conheco varias criancas aqui que ainda acreditam.

  19. Aiii, quando me contaram, de uma forma nada gentil, quase morri de desgosto, então espera o natal passar e conta com jeito,por que descobrir da forma errada tbém é ruim. Mas uma hora ele vai ter que saber! Espero que vc tenha coragem e que eu não tenha atrapalhado ainda mais, rs. Bjos Jamile

  20. Meu filho tem 9 anos, é super esperto e inteligente e tbm acredita no bom velhinho… o problema é que ele tem a mesma mania de grandeza que seu Breno tem na hora de fazer seus "pedidinhos", por isso meu marido resolveu contar a verdade(acabar c/ sua infância) e o resultado partiu meu coração, ele ficou uns segundos em silencio c/ um olhar desolador e em seguida as lágrimas rolaram (ai q dó) e p/ nossa surpresa ele usou um mecanismo de negação, continuou escrevendo a carta e disse q estávamos mentindo. Difícil né

  21. Eu conheci duas crianças iguais ao Breno, que acreditaram até a mesma idade e moravam no Brasil: meus enteados.
    Pois é. E na época, lembro que conversamos com eles sobre isso e eles disseram que os colegas de escola já tinham contado pra eles que papai noel nao existe, mas que eles queriam continuar acreditando, porque nao queriam que a magia acabasse e gostariam de continuar se sentindo crianças.
    eu nao contaria, se seu medo é que uma outra criança no Brasil conte,que seja, é diferente que um adulto contar. Acho que um adulto contando é como se forçasse que ele "saísse" da infancia que ele tanto gosta. E se uma outra criança contar, ele pode pensar que é a criança que nao tem mais infancia. Confuso, mas deu pra entender? rsrs
    Bjs!

  22. O viadinho do meu primo de 10 anos me contou quando eu tinha 6 anos. Nunca o perdoei…

    E menina, vc vai me escrever ou nao??? Vc ganhou o kit de scrapbooking digital da My Memories e eu preciso do seu e mail!!!

    inaier.blogspot.com

  23. Miller Manteiga.

    Conversa com ele Ka, quando eu tinha 9 anos meus pais sentaram comigo e me explicaram.. mas não deixa ele perder a magia e o encanto do natal viu? Isso que é o mais legal.
    Beijos sweetie!! xx

  24. Não conta! Ele vai ficar com raiva de você depois, especialmente se ele gosta do Natal e do Papai Noel. Você vai acabar virando a estraga prazeres. Foi minha tia que me contou e até dá uma raiva…porque as outras crianças curtiram muito e eu não, ainda por cima não podia contar para as outras crianças.
    Meus irmão menores, já com 6 anos reconheceram o pai deles por trás das barbas, foi muito engraçado.
    Mas, se dar conta de que Papai Noel não existe é uma decepção seja de qualquer maneira.
    Eu acho que ele vai ficar contente, no futuro, de saber que você deixou ele curtir isso o mais que pôde.
    bjs

  25. Conta não!
    Deixa que a vida vai se encarregar disso, e tão raro crianças de 11 anos ainda sendo crianças.
    bjs

  26. Oi KA !
    Descobri o seu blog faz poucos dias.. QUE MAGNIFICO !
    O JEito que vc usa as palavras.. o modo que vc trata os irlandeses.. ME APAIXONEI!
    e lendo o seu post a respeito do papai noel..
    Deixa ele descobrir sozinho.. tipo.. deixa ele te pegar comendo os cookies.. deixa ele notar os papeis de presente.. Acho q sentar e conversar clia um clima muito dramatico.. e pode dar a impressao de "ixee a coisa ficou feia, o velinho morreu e minha mae ta querendo falar q ele nunca existiu !!"
    Eu sou casado..(Tcharam! eh sou homem) moro aqui na irlanda fazem 4 anos.. e as criancas la de casa foram assim.. (a menos de 8 anos ainda aguarda anciosa com as meias na lareira).
    Um beijao..e Merry Xmass !!!

  27. ôoooo que maldade! Nao conta nao! Deixe-o descobrir sozinho. Essa fase é tao linda. Eu sei que nao existe mas adoro acreditar!kkkk Ah! Aqui na Austria quem vem no Natal com os presentes é o menino Jesus. E as criancas ouvem o barulho do sino e depois vao la pegar os presentes. É tao fofo!!!!

  28. Oi Anônimo, fico feliz que vc tenha gostado do blog!
    Volte sempre!
    Quem sabe a gente não se esbarra por essas ruas pequeninas de Dublin, né?
    abraços

Deixe uma resposta