Divorce, Relacionamento, Vida Na Irlanda

A parte mais difícil

Eu tenho filhos.

1 menino e 3 meninas.

No momento a faixa etária entre eles é de 7 a 20 anos.

Tenho crianças, uma pré adolescente e um jovem adulto.

Pra mim, a parte mais difícil da maternidade (acredito eu que da paternidade tambem) é não poder lutar algumas batalhas pelos nossos filhos.

Acho difícil ve-los em posição difícil, tanto em relacionamentos pessoais como profissionais.

Eu sei que faz parte do pacote, quando a gente está crescendo, quebrar a cara, perder a chance e errar, é normal.

Mas saber que isso é normal, não torna mais fácil de assistir.

Uma das qualidades que mais admiro é a resiliência. Até porque a gente acaba aprendendo muito mais com nossos erros do que com nosso sucesso.

No fundo, não é nosso sucesso ou fracasso que nos define, mas como lidamos quando algo não dá certo, é o que forma nossa base, é a mola que nos joga para o alto, que nos impulsiona.

É como respondemos ao feedback construtivo, as críticas, ao apoio é que chegamos as nossas conquistas.

A fase que eles não dormem.

A fase que eles não comem.

A fase que começam a andar.

A fase dos terrible twos.

Nada se compara a dor que você vai sentir quando eles tiverem uma batalha pra enfrentar e tudo o que você pode fazer, é torcer. E de longe.

Não me entenda mal, Muitas vezes eles saem vencedores.

E vê-los merecedores de suas próprias conquistas é maravilhoso, mas não evita o quase ataque cardíaco.

Mas saber que isso é normal, não torna mais fácil de assistir.

Facebook Comments

Deixe uma resposta