Smart? Not so much….

Eu já contei, que voltei a estudar faz algumas semanas?
Tirando as aulas de inglês que eu fiz quando cheguei e que duravam o dia inteiro,
eu não entrava em sala de aula a algum tempo (ok, fiz curso de design de interiores e de make up artist aqui na Irlanda), mas nada tão formal e intenso quanto voltar a fazer fazer um curso mais especifico como Law e te digo, as coisas mudaram!

A primeira vez que pisei em uma faculdade no Brasil, na primeira semana já sabia o tipo sanguíneo e para que time, meus companheiros de classe torciam.

Chopada? desde a segunda semana e a presença era em massa.
Socializar na {facul} era melhor do que estudar e os contatos que a gente fazia lá dentro, podia nos render parcerias, emprego, casamentos e muitas amizades (como as que eu carrego até hoje no meu heart e no meu facebook!).

Hoje, na minha condição, o social seria bem vindo mas não é mais essencial, e ainda bem!
Coitada das pessoas solteiras, das pessoas carentes, das pessoas que esperam que os companheiros de classe se tornem amigos de infância.
Cadê a estória engraçada que podia ser contada “ali”?
O smartphone roubou!
Que triste!
Que triste!

E no caso da minha turma, estou falando de todas as faixas etárias.
Intervalo não é mais hora nem pra comer, quem dirá hora pra trocar idéia!
Entra na minha sala só, pra você ver!
Todo mundo de cabeça baixa, engajado em uma conversa com alguém a kms de distância e tão distante de quem está ali, do lado!

Pode ser exagero meu, mas a impressão que eu tenho é que daqui a alguns anos,
conhecer o marido ou a esposa na faculdade ou até mesmo fazer amigos, é que vai virar coisa de conto,
porque os sites de namoro online e as mídias sociais, com certeza, tem feito mais sucesso do que o bom e velho, papo na cantina.

Facebook Comments

13 Comments

  1. juliana caldeira

    Ta fazendo que curso?

  2. Esta gente não sabe o que está perdendo! Os anos de faculdade foram seguramente os meus melhores anos de vida!!

  3. Pois é, parece que a tecnologia conseguiu aproximar quem tá longe, mas também distanciou o contato com os mais próximos!
    Até meio triste isso!
    Tô achando ótimo que você tá estudando de novo!
    Por isso que te adimiro tanto! Parabéns e sucesso!

  4. Ká, faço direito no Brasil e aqui continua como quando vc fez faculdade aqui. Choppadas, amizades, interação nos ambientes destinados ao convívio dos alunos. Não acho que minha faculdade seja a exceção, vc sabe se antes ai era diferente? Não pode ter sido sempre assim?

  5. Luiza, acho que nunca foi como no Brasil, mas com certeza hoje em dia está bem pior….

  6. Oi Karine, acompanho sempre o blog. Então mas não é só na faculdade que a interação está difícil, é em todo lugar. Exemplo: minha irmã tem 25 anos, chamar ela pra ir num restaurante ou em um almoço entre amigos é perda de tempo, ela não desgruda do celular, é como se não tivessem pessoas ao lado dela. Domingo passado fizemos um almoço pra uns casais de amigos, estavamos em 16 pessoas. Ela não conversou com ninguém, nem ela e nem o filho de um dos nossos amigos, que também não saia do celular. É triste essa geração. E vai ficar cada vez pior.

  7. Ka, acomoanho seu blog desde que eu morava aí em Dubln! Vokteipro Brasil há 9 meses e como estou querendo voltar pra Dublin voltei a acompanhar ( tinha deixado de lado pq estou estudando mto pro Ielts q é semana q vem!) . Quero voltar, e com o Ielts na mão queria tentar uma pós ou um curso aí, n queria escola de inglês n pq tenho nível avançado já. Mas infelizmente, se n achar nenhum curso que me dê o Visa terei q voltar p uma escola de inglês msm. Esse curso de make up artist q vc fez tem duração de quanto tempo? Vc indica? Acho que n se enquadra em cursos que permitem vc ter o Visa, né? Ainda assim tenho interesse. Enfim, o problema é que acho que curso de pós aí é caro, né? Btw Im a nurse! hugs : )

  8. Oi Karine,

    Essa é uma triste realidade. Infelizmente já não se troca mais idéia em lugar nenhum. Me lembro quando comecei a viajar, lá pelos idos de mil novecentos e noventa e borrachinha, conhecia gente com facilidade e trocávamos idéias, sugestões do que ver e o que fazer em tal lugar. Hoje em dia, todo mundo ignora todo mundo. Concordo que daqui a algum tempo os jovens não vão acreditar que um dia a maneira de conhecer pessoas era olhando para o lado, sorrindo e dizendo um "oi", e digitando e colocando emoticons.

  9. Triste mesmo..mas vou te contar quando fiz pos em UK eu senti exatamente o que vc esta sentindo. Mas na epoca nao tinha celular e foi muito dificil socializar com meus colegas. Eu me lembrava das minhas epocas de faculdade no Brasil e ficava super triste. Pq todo mundo se ajudava e riamos juntos , claro sempre tem a turma que nao combina com ninguem em todo lugar. Depois fiz outra pos nos EUA e era um curso mais voltado (pelo menos no inicio) para estrangeiros, ai foi como no Brasil, pq eram pessoas de todo o mundo que estavam em um pais estrangeiro e com vontade de socializar e fazer contatos.

Deixe uma resposta