Negar Até a Morte.

Nunca vi essa expressão ser tão levada ao pé da letra  quanto nos últimos tempos.
E não pense vocês que estou falando de Tiger Woods, Ronaldinho ou qualquer outro homem que a use  para se defender de supostas traições conjugais. É mais do que isso.

Apartir do caso da Isabella Nardoni, o Direito, principalmente na área criminal, sofreu um marco, onde negar é a saída, por mais que as provas apontem para Alexandre e Carolina e não deixe nenhuma dúvida quanto a autoria do crime, ainda existem pessoas que ainda, mesmo depois da condenação, acreditam na inocência do casal, porque eles não assumiram, sempre haverá uma dúvida , ao menos, para quem não quer enxergar a realidade.

Hoje o caso se repete:
Mizael, advogado, com uma carreira pela frente, acusado, principal (e único) suspeito de matar (ou mandar matar) a ex-namorada e que apesar de todas as provas continua se declarando injustiçado.

Bruno, goleiro do flamengo, Macarrão, seu capanga , Bola, um policial aposentado e mais uma turma de gente que achava que com dinheiro, o crime pode ser perfeito, provando que são frios e calculistas, usam da mesma estratégia, e sorriem.

Policiais que exigem propina para um jovem se livrar de um processo de atropelamento seguido de morte, negam.

Políticos que roubam, que carregam dinheiro na cueca, também.

A semente da dúvida jogada ao vento, que agora é a principal estratégia é tão ou mais cruel do que os crimes cometidos, se não há confissão, não há arrependimento mas medo de se pagar (se é que seria possível) pelo crime cometido.

Depois de ler e tomar conhecimento do que anda acontecendo no Brasil (na Irlanda e no mundo) chego a conclusão de que NEM os bandidos ‘são como os de antigamente’.

.

Facebook Comments

3 Comments

  1. O mundo fica cada dia mais perigoso, porque os perigosos ficam cada vez mais dissimulados.
    Só nos resta rezar, pois nunca sabemos do que realmente é capaz uma pessoa ao nosso lado, mesmo que passemos toda nossa vida ao lado dela!

  2. Acho que o mundo sempre foi perigoso, antes eram animais ferozes correndo atrás da gente, depois chegaram os coronéis, malucos com desejo de dominar o mundo, políticos pilantras, etc, etc….
    Só que agora o mundo está pequeno por conta da comunicação e a mídia adora fazer um circo em cada nova desgraça.
    O importante é não tirar os olhos da bola e a bola pode ser um novo casamento, um filho, um beijo, um novo desafio…
    Sucesso!

  3. Tá com uns temas bacanas aqui, moça. Esse mundo novo de bandido sem culhão tb me dá náuseas. Cada vez mais triste…

Deixe uma resposta