Jeitinho Irlandês.

Jeitinho Irlandês.

Bobagem dizer que nunca tinha parado pra pensar nisso antes de ter filhos e acredito que como culturalmente no Brasil isso é aceitável, receber visita no hospital era de praxe, o que não fazia a sensação de ser “invadida” ser melhor, mas para evitar problemas (diga-se: aborrecimento e mágoas pela parte visitadora) a gente colocava aquele sorriso no rosto e a vassoura atrás da porta.

Aqui na Irlanda não passei por nada disso.
Acho que pelo fato de também não ter muitas amigas na época em que a Chloe nasceu, as poucas que tinha se contentaram em me visitar em casa, depois de alguns dias de sossego.

Já com a Mia, meu círculo já era bem maior, mas como 100% das minhas amigas ou são casadas com irlandeses ou moram por aqui faz muito tempo, elas sabem que visita em hospital não rola, a não ser que o convite parta da mãe do bebê, até porque, por aqui quarto particular corresponde a 3% da realidade.

A sutileza irlandesa -ou educação, como você preferir- facilitou a minha vida e foi testada e aprovada por mim.
Porque, né? a pessoa tem que ser muito desapegada -ou apegada- pra querer receber visita no hospital depois de parir…
Admiro quem goste, viu?
Mas eu particularmente prefiro o jeitinho irlandês mesmo…

No cartaz diz que visita na maternidade somente para o Pai, as crianças do casal e avós (no meu caso, a dinda também, porque foi convidada por mim) e só.
Achei lindo e muito prático.
.

Facebook Comments

10 Comments

  1. aqui tb é super raro receber visitas na maternidade. Ate pq…no Brasil vc recebe visita no mesmo dia de parida, mas vc ta la muito bem dopada e com um corsete pra segurar tudo de novo no lugar. Ninguem merece ver a barriguinha de chopp que fica depois. =P Tb achei o jeito alemao mais sossegado e menos estressante. bjs!

  2. Melhor assim, né? Eu ia preferir dor de parto de novo do que ver alguém naqueles primeiros dias.
    Beijos

  3. ADOREI!!! Mas o que eu queria mesmo era que a equipe dos hospital também respeitasse o momento, me explica que necessidade tem de ligar a luz do teto cada vez que entra no quarto para checar o menino que nasceu saudável e a mãe que nem soro tem no braço? Pior ainda na madrugada!

  4. Nossa, Karine… falei sobre isso HOJE com a minha cunhada (porventura, grávida e eu com uma filha de 1 ano e meio). Uma amiga nossa teve bb ontem e a minha cunhada e o marido foram à maternidade visitar ONTEM mesmo! Ela passou por 12 horas de trabalho de parto, conseguiu um parto normal como queria (um viva pra quem consegue essa façanha no Brasil!) e teve nenê às 19h! Minha cunhada e o marido foram visitá-la às 20h!!!! E saíram putos da maternidade pq ela (a mamãe) não queria visita, não deixou ninguém entrar no quarto, só deu a entender aonde estava o bebê (acho que no berçário), e só.
    Eu achei muuuuito justo! A mulher passa por 12 horas de dor, tormento, nervoso, ansiedade, vira mãe de uma hora pra outra e tem gente querendo visitar???? PELAMOR!

    No próximo baby, nada de visitas, com certeza.

  5. Gostei do jeito irlandês, dá privacidade à mãe e à família.
    Bjs!

  6. Perfeito, qd chegar minha hora vou ai parir!!

  7. Super justo! Eu não recebi ninguém no hospital qdo minha filha nasceu. Mas minha sorte foi morar longe da família. Em compensação, a outra mulher que ganhou bebe e dividia o quarto comigo recebeu uma procissão inteira!!!! Quanta bagunça. Um horror! Ainda bem que sai do hospital um dia antes dela. Por isso adorei este jeito irlandês!!

  8. sabe que eu acho que essa questão da visita é na verdade um grande mal entendido entre as partes? sim, porque nos, que ainda não somos pais, não sabemos exatamente quando visitar as amigas que pariram. eu ja tive medo de não ir muito rapido ver uma miga na casa dela e ela achar que eu estava desinteressada pelo bebê. por isso é legal que vocês, mamães, façam posts esclarecendo quando é mais bacana receber as visitas, por quanto tempo e o que levar ou como se comportar (tem gente que pede para lavar as mãos, para não segurar o bebê, enfim). acho que a mulher tem o direito de ser honesta nessa momento e quem for mesmo amigo vai entender e respeitar. – mas as vezes a gente acaba sendo sem noção simplesmente por não saber muito bem quais codigos seguir (aqui na França, por exemplo, é bem diferente do brasil).

  9. sabe que eu acho que essa questão da visita é na verdade um grande mal entendido entre as partes? sim, porque nos, que ainda não somos pais, não sabemos exatamente quando visitar as amigas que pariram. eu ja tive medo de não ir muito rapido ver uma miga na casa dela e ela achar que eu estava desinteressada pelo bebê. por isso é legal que vocês, mamães, façam posts esclarecendo quando é mais bacana receber as visitas, por quanto tempo e o que levar ou como se comportar (tem gente que pede para lavar as mãos, para não segurar o bebê, enfim). acho que a mulher tem o direito de ser honesta nessa momento e quem for mesmo amigo vai entender e respeitar. – mas as vezes a gente acaba sendo sem noção simplesmente por não saber muito bem quais codigos seguir (aqui na França, por exemplo, é bem diferente do brasil).

  10. Nossa, ainda bem que tive a Victoria nos EUA, por que nao senti remorsos nenhum em falar pro pessoal que nao estava a fim de visitas, estava me sentindo um lixo, afe!

Deixe uma resposta