Genuinamente Pecadora.

Genuinamente Pecadora.

Eu tô longe de ser perfeita e dentre os meus defeitos, devo confessar que sou digamos, uma perua assumida.

Eu adoro Louis Vuitton e tenho algumas que por terem sido presente não sofri com dor na consciência em adiquiri-las, pois bem, em Paris ganhei meu presente de Natal (palavras do rosinha), faz tempo estava paquerando uma bolsa, mas sem coragem de comprar, (sabe como é, depois dos filhos, futilidade passa longe da lista de prioridades.) mas no clima de lua-de-mel, depois dele insistir muito (ok, nem precisou insistir muito) eu aceitei o mimo e vivi feliz para sempre, até ir para Turquia e encontrar a mesma bolsa muitos, muitos €uros mais barata. Sério, eu não estava com a minha original, mas olhando a fake, genuine fake, como são chamadas pelos vendedores (oi?), eu poderia afirmar que as duas eram idênticas, mas vamos conversar, eu não gosto de fake, anyway #Morri.

No outro dia, na piscina do hotel conversando com uma irlandesa acabei desabafando sobre a dor no coração que eu estava sentindo em ter pago 50 vezes mais por uma coisa (fake, vamos deixar claro) que eu poderia comprar tão mais barato, pronto, não poderia ter encontrado conselheira melhor, em quinze minutos ela me convenceu de que a minha compra foi um investimento, que fakes não duram mais do que uma temporada, que se a original não valesse o preço, a LV não teria fila na porta (acredite, em Paris a fila estava maior que a do Museu D’orsey), que será uma herança para Chloe, que a terei pela vida toda e mais, que em 10 anos ela valerá o triplo. #Renasci.

Meu único arrependimento no entanto, foi não ter pego o telefone da minha anja consumidora, já que mais pra frente(tipo, depois do Natal) voltarei a pensar em outros investimentos, afinal, nada melhor do que ter visão de futuro, aliado a peruice aguda com um toque de pisicologia empreendedora.

Sou só eu ou você, também “peca” ?

 
Meu investimento.
P.s.: Dica muito importante para as futéis de plantão: Comprando na LV em Paris (ou Europa) e apresentando o passaporte e a passagem de volta para o Brasil você recebe um desconto de Tax Free que equivale a 15% do valor original do produto, acreditem é um descontão e fiquei arrasada em não poder usufruir do benefício por morar em Dublin.
Facebook Comments

16 Comments

  1. Adorei o post…hahaha!!
    Menina, meu sogro está na chic e encomendei a minha genuine fake.Me disseram que é exatamente igual. To esperando para ver.

  2. Adepta da famosa crise de peruice aguda, sou uma pecadora de carterinha. Desleixada, é verdade, mas não resisto a uma bela bolsa cara (na promoção então, é minha!), aquele par de sapatos ou mesmo uma bela roupa.
    Claro que existe qualidade além de marca, mas a marca é certeza de qualidade e durabilidade, o que acaba compensando o preço que dói na consciência.
    Confesso que o meu maior gasto é em salões de beleza, cabelo, unhas e depilação a cada 15 dias.

    Queria aproveitar e agradecer a visita e também o comentário no meu blog. Fiquei muito feliz, pois sigo o ká.entre.nós há quase um ano e adoro seus textos.
    E te respondendo, a sortuda sou eu, pois mesmo morando longe da minha Neguinha, minha avó é muito presente na minha vida.

    Um beijão flor.

  3. ihhh menina, se joga nos seus pecados materiais! eu tb adoro bolsas e nao compro nada fake. se nao tenho a grana do original fico na vontade mesmo, juntando os trocados. e sua bolsa é lindona! entao nada de consciencia pesada!bjo

  4. Ai eu já tenho a alma mais 'humilde'…. sorte dos meus pais de terem eu como filha. Nunca tive coisas de marca, e quando tinha dava medo de usar. Me lambuso em lojas de povão. Prefiro comprar 10 a 1. Pelo fato de eu estar sempre alterando meu mísero estilo, eu sei que se pagar muito em algo eu deixarei de lado logo logo.
    Já meu namorado é o contrário. Oh céus. Isso sim é difícil.

    Beijocas da Brugina 🙂

  5. Hahahaha…esse tipo de pecado eu não cometo porque sou um pouco pão dura. Não compro nada de marca e sou do tipo que prefere 10 fakes a uma original. Até porque logo as coisas acabam passando de moda.. e a Chloe vai acabar usando a sua bolsa em festa dos anos 2010, que certamente vão existir, né? Como hoje a gente faz dos anos 80…hahahaha…

  6. Oi Ká só gastando né???? Guarde seu dinheirinho, viu????vamos economizar.rsrsrsr bjs

  7. Glenda é por causa de gente como você que mães (consumidoras) de família perdem o sono! a f e

    Mi, tô com você, também não gosto de fake.

    Gina, estou com seu namorado, prefiro 1bom a 10 razoáveis,devo confessar.

    Mariana, meu problema é esse, além de bolsas amo salões de beleza, aliás, gosto dos profissionais de beleza, principalmente dos que atendem a domicilio…hahaha

    Joy, o que seria "chic" ? hahaha

  8. Oi, Ká. Eu acho que a questão tem quer sentimental, eu gastei o dobro tb em um perfume em paris, na hora de uma dor na consciencia, mas passado os 15 mins eu ja estava toda feliz, e eu acho que viver eh isso, eh tb curtir os pequenos prazeres que a vida oferece, senão qual seria a graça? Eh bom economizar, pensar, mas ninguém sabe o dia de amanhã e depois de mudar pra ca, eu aprendi a ser uma pessoa que curte muito o presente. Quando eu vejo algo que gosto eu nao me importo com a marca eu vou e compro mesmo, pra mim eu acho que eh aquela estoria de criança o que vale é o gosto hahaha e a Chloe vai amar!

  9. Karine!

    Faz um bom tempo que acompanho o seu blog e simplismente admiro muito você, sou de SP e vou fazer intercämbio para Dublin, daqui 15 dias estou ai!

    E quanto ao seu "pecado" não posso falar nada pois eu sou louca por bolsas, apaixonada!
    Acho que é o acessório mais feminino e que dá um "up" em qualquer roupinha básica!
    Não foi pecado.. foi investimento!
    PARABÉNS!

  10. Please, descobre o telefone dessa irish e passa pra gente!! (tem certeza que depois de conversar com vc ela nao desapareceu com um "puff!" e uma nuvenzinha branca ??)
    🙂

  11. Dá pra bloquear minha mulher nesse post? Não sou a favor da censura, mas algumas leituras são perigosas….

  12. Ká, crise de consciência o #@$%¨¨%@. Amiga, aperta a tecla FODA-SE e seja feliz. Odeio fake, odeio coisa falsificada, e coisas que custam caro têm sim suas virtudes. Gosto de coisas boas e elas custam caro… fazer o quê? Adoro bolsas caras, mas não pq são caras, mas pq duram uma vida. Um dia, cai na bobeira de comprar uma bolsa tabajara. E era coisa de modinha, coloridérrima… o dinheiro de uma boa bolsa da Victor Hugo, por exemplo, deu pra comprar DEZ tabajaras… que usei uma vez e doei. Ou seja, joguei dinheiro fora. Viva maquiagem da Lâncome, viva Louis Vouitton, viva óculos de grife, viva perfumes caros. Abaixo a pobreza e a miséria. Não pode ter, não consome. Aqui em casa é proibido até cd pirata! Ah, dá pra emprestar sua bolsa um dia??? Ao menos pra uma foto???

  13. És uma "perua chic" e genuína… hahaha. Também sou contra os "fakes".

    Quanto ao seu comentário, que bom que suas crianças lêem em português e ainda o Maurício de Souza. É essencial esse contato com a língua, especialmente quando os pais são de nacionalidades diferentes. Com minha irmã na Suiça, acontece coisa semelhante com seus dois filhos. E dentro de casa, falam Português na maior parte do tempo.

    Eu, no alto dos meus 4.8 (motor turbinado) aninhos, sou devorador e consumidor das revistinhas da "Turma da Mônica" e também o "fornecedor oficial" à sobrinhada (tenho 10, de 6 a 18 anos), que quando chegam na minha casa vão direto à toca onde os guardo e releio por inúmeras vezes.

    Beijo!

    Obrigado, ainda, pelos votos do "Dia do Amigo", que retribuo na mesma intensidade.

  14. eheheh que post divertido!
    Mas isso que LV é investimento pra ficar de herenca é meio mito, viu? acho que supervalorizam demais a LV.
    Comprei uma em Dezembro, e agora a alca dela esta desfiando, isso mesmo, acredite! (e olha que nem é a bolsa que uso todo santo dia, pra desgastar assim.) Uma amiga minha tambem comprou a dela, quando viajava por Milao em 2008, e hoje- menos de 2 anos – o ziper quase nao funciona.
    Ou seja, bolsa é igual a carro: nao precisa ter marca, precisa ter SORTE. eheheeh
    bjs,

  15. Karine!!ja visitei seu blog antes,mas essa é a primeira vez que comento.

    quando estava em Paris,fui na loja da LV e quando o vendedor me informou que eu receberia o desconto do Tax Free(moro na Suiça e a Suiça nao faz parte da Uniao Europeia)fiquei tao happy que comprei logo duas bolsas!!heheheeh

    Como eu ja tinha a Speedy foi bom porque pude fazer o calculo e ver que valia muito mais a pena comprar em Paris do que aqui na Suiça!!Eu comprei na loja que fica na Saint-Germain de Pres,porque como voce disse,na Champs Elysees por exemplo tinha tanta gente que os vendedores nao davam conta!!!

    se voce tiver de novo um ataque de arrependimento,me escreve que te dou a maior força e te posso convencer que é um investimento seguro!!hehehe

    obs:seu blog é o maximo e parabens pelo casamento!!

    bjo Melanie

  16. Não necessariamente com LV, mas eu peco. E muito.
    No mais:
    no fakes, thanks.

Deixe uma resposta