Happy EVEN after

Karinekeoghblog

 

Eu sempre fui ‘precoce’.

Casei primeiro que todas as minhas amigas, tive filho primeiro que todas elas tambem.

Algumas da mesma idade, estão começando a vida agora, e eu acho mais é que certas estão elas, mas como nao tive ninguem pra me aconselhar, quase tudo, se não  tudo, o que eu fiz na vida, fiz na base da intuição.

Sempre deu certo, até  quase agora.

Ser pioneira tem lá suas vantagens, mas eu, como tambem aprendo com a experiência e erros alheios, me sinto quase sempre como cobaia da vida.

Cobaia e não vítima.

Leia de novo.

Cobaia, por que se der certo, recebo aplausos, timidos.

Se der errado, sou julgada, por quem nunca passou pela mesma situação

Exemplo:

Aquela amiga que nunca teve filho e diz que o filho so vai comer legumes, vai ser trilingue, o mais educado.

Critica as amigas que já são  mães

Daí elas tem filho e surprise! acontece o mesmo, o cuspe cai na testa.

Mas infelizmente isso nao acontece so com a maternidade, por eu estar casada a muito mais tempo que a maioria, meu casamento passou por fases inimiginaveis na cabecinha inocente de quem ainda esta em lua de mel, ou, que esta estagnada na mesma vida que a 10 anos atras, ou, que vive em uma bolha – ou que realmente tem um casamento de conto de fadas, o que pode existir, mas nao conheco e nem nunca ouvi falar.

Eu não sou a mesma que a 2 semanas atrás, quem dira 10 anos, como meu relacionamento poderia continuar sendo?

Esse post é pra dizer pra você não casar que o movimento feminista é lindo, digno de posts, revoltas online, mas mais bonito que just talk, é walk the talk.

Empatia de internet, nao muda o mundo.

Quem muda sao suas ações, no seu círculo, entre amigas, colegas de copo ou simplesmente mulheres que por algum motivo confiaram em você.

Nos últimos anos minha vida deu algumas voltas, algumas coisas que são motivo de orgulho, como ter voltado a trabalhar, a estudar, a me cuidar, outras nem tanto.

Algumas má escolhas, algumas escolhas que pareciam certas na hora e acabei por repensar, mas nem as ‘erradas’ eu mudaria, porque todas elas me fizeram ser a pessoa que sou hoje, tendo ao lado as pessoas que se importam primeiro comigo.

Estive quase solteira de novo, agora estou em paz.

Quase acabei com o blog, agora estou aqui escrevendo.

A vida é feita de altos e baixos.

Zona de conforto é um lugar maravilhoso para se estar, mas a verdade é que nao acontece muita coisa lá.

E eu gosto de muita coisa.

Que sorte que eu não tenho medo de nada.

Montanha russa me faz é  rir.

I am back 🙂

E lembre-se:

You will never find me where you left me.

 

 

Facebook Comments

7 Comments

  1. Pryscilla Teixeira

    Uhu!!!!
    Excelente texto!
    Preciso sair de minha zona de conforto, pq percebi que eu TB gosto de muita coisa!!
    Bjsss

  2. Me identifiquei muito com o seu texto. Eu não sou a mesma de 2 horas atrás quem dirá dos meus 12 anos de Irlanda (aquela bem libriana).
    Que bom que vc voltou.

    Bjokas

  3. Quem nasceu pra ser feliz nunca vai se acostumar com uma vida morna. Conversamos pouco no outro dia e te falei sobre o que penso, mas eu reitero que apoio total suas decisões que talvez não sejam as mais fáceis mas a vida é pra quem sabe mergulhar e não pra quem só molha o dedinho no raso!

  4. Que bom que voltou a escrever, sentia falta dos seus posts. E ser a mesma sempre eh boring! Viveu quem tem historia para contar.

  5. Feliz por sua volta!!!

Leave a Reply