Saindo da Zona de Conforto

Esse mês, depois de 2 anos trabalhando na mesma empresa (ou quase 2 anos, comecei em NOV-2015), decidi sair da minha zona de conforto e aceitar outra proposta de emprego.
E nessa saída, enquanto escrevia meu email de despedida (prática comum aqui na Irlanda) me toquei que faz quase 2 anos que decidi trocar minha vida de full time mom, pela de part time mom.
Daí me lembrei que nunca de fato escrevi sobre o que desencadeou essa vontade.
Na verdade, não posso creditar essa decisão a um só acontecimento mas ao conjunto de vários.
As kids estavam um pouco mais crescidas, uma amiga me levou a uma palestra sobre muheres nos negócios e sim, essa decisão foi tomada também com um empurrãozinho de uma hater.

saindo da zona de conforto
Lovely Hater

Eu normalmente não dou ouvido para as críticas, até porque, se você me acompanha, apesar de saber que sou uma pessoa decidida não tento empurrar minha opinião guela abaixo e muito menos levanto bandeiras, então acontece que fica difícil para haters argumentarem comigo.
Quer ter parto normal? De boas!
Quer ter cesárea? De boas!
Quer amamentar ou não? De boas!
O problema realmente não é meu.

Mas, de vez em quando, umas aparecem e eu te falo de coração, eu leio e de repente se valer eu reflito no conteúdo do comentário mesmo que a intenção seja maldosa.

Como você pode ver na imagem, eu brinquei com o fato de que depois de 6 anos, eu passei a ter as manhãs livres e decidi pintar o cabelo e ela, triste com minha decisão, falou que eu deveria trabalhar.
A princípio respondi, depois digeri e por fim, me questionei.
Realmente, eu poderia estar trabalhando.
E então comecei a pensar nas possibilidades e na logística dessa decisão.

Hoje, 2 anos depois, agradeço pelo limão que ela me deu.
Com ele fiz limonada, caipirinha, torta de limão e tô aqui, feliz da vida.

A vida definitivamente não é o que fazem com a gente, a vida é o que a gente faz com o que fazem com a gente.

Olhando pra trás e o que alcancei nesse curto espaço de tempo, pessoal e profissionalmente, mesmo não tendo sido dela todo o crédito e mérito, me dá até vontade de mandar um cartão de agradecimento pela sementinha que ela plantou na minha cabeça com aquele comentário maldoso.

Ser full time mom foi uma experiência maravilhosa.
Trabalhar na Ding* foi muito enriquecedor.
Mas tá no meu sangue, preciso de desafios, afinal, o siricutico não para, Graças a Deus!(e as vezes, aos haters! <3)

Facebook Comments

2 Comments

  1. Que legal, Karine! Realmente admiro sua energia! Conta para nós como está com o novo trabalho. abraço e sucesso!Tatiana

  2. Apesar do comentário maldoso é desnecessário, é mto bom podermos refletir sobre o que queremos mudar. Venho fazendo isso também, e com certeza estou saindo da minh zona de conforto assim como você saiu (estou chegando agora em Dublin tbm \o/).
    Boa sorte no emprego novo!! Muito sucesso pra vc!

    Bjão!

Leave a Reply