The Joys…

Bolo fácil

Tem gente que acha que eu sou boa mãe, mas hoje cedo, por exemplo, passei umas 2 horas procurando a boneca da Chloe, que eu mesmo joguei fora, por motivo de que a boneca estava com a cara toda riscada e eu achava que ela nem ia sentir falta.
Mas ela sentiu e eu não tive coragem de contar que a doll passou “dessa pra melhor”.
(antes de achar que sou covarde, experimente os gritos supersônicos da Chloe)

Aí para parar de procurar o que eu sabia que não ia encontrar, tive a brilhante idéia de fazer bolo.
Quer dizer, a segunda brilhante idéia foi a de fazer bolo, a primeira brilhante idéia foi convidar as 3 para fazer bolo. (Ainda bem que o Breno ainda estava dormindo, se não, ele também seria convidado).

Esse erro, o de chamar muita gente para fazer uma só coisa que por natureza tem a possibilidade de se tornar um desastre, só mães amadoras cometem, ou mães desesperadas, como naquele momento, era o meu caso.

Percebendo o pânico na minha expressão, Rosinha se propôs a ir ao mercado e levar -uma- com ele, para comprar o que faltava para a receita do almoço.
Pois é, como você pode notar, somos um poço de idéias brilhantes (a primeira idéia brilhante, em dupla, foi a de ter 4 filhos, vai vendo..), depois dessa, nossa experiência foi ladeira abaixo, as 3 esqueceram o bolo que faríamos e a luta agora era pra ver quem ia ao supermercado comprar batata.

Quem troca bolo por batata?
Aparentemente, minhas filhas trocam bolo por batata.

É nessas horas que eu me lembro porque tenho tanta preguiça de ser uma Mãe Pinterest.
Não sou craft e não sei fazer trabalho em grupo, quando o grupo é composto por  mais de 2 pessoas.
Não sei fazer trabalho em grupo, principalmente quando essas pessoas tem menos de 15 anos.

Sou a mãe que enfia todo mundo no carro e vai desbravar o mundo, sabe?
Esse negócio de trabalhos manuais que você leva 2 horas pra preparar o projeto e distrai a kid por 5 minutos, não é pra mim. (mães hiperativas entenderão) e fazer receita de bolo está incluso em trabalhos manuais. Ou seja.

No final, conseguimos enrolar as pequenas, Rosinha levou a Chloe (não antes de um ovo quebrar no meio da minha cozinha) e o “projeto” caminhou bem, até Chloe chegar em casa, em prantos, dizendo que na verdade, ela pensou que a gente fosse esperar por ela, pra fazer o bolo. (wtf?!)

Depois de 15 minutos de muito xororo, (aí sim, idéia de mãe pro) propus que continuássemos a procurar a boneca, aquela que joguei fora, lembra?

Maternidade, é isso, gente.

Uns dias são mais difíceis do que outros e normalmente, a culpa é sua.

.

Facebook Comments

8 Comments

  1. Não tem como não rir… huuahuuahuuahu… desculpa

  2. Ouch, I'm feeling your pain.
    A dor era tanta, que procurar a boneca que não se encontraria era menos doloroso.
    Been there.
    Eu babo na ideia de ser uma mãe Pinterest. Mas depois de perder um par de noites pintando uns rolinho de papel higiênico para que minha cria tivesse uma atividade montessoriana altamente interessante que desenvolve a coordenação motora e etc e tal, e a bichinha se entreter por uns 4 minutos com a tal atividade, eu meio que larguei os bets sabe?
    Pelo menos até o próximo projetinho imperdível aparecer.
    E olha que eu tenho só 1 criatura.

  3. Só posso rir…muito… 🙂

  4. Karine, adoro seus posts e a paciência em vir compartilhar. bj

  5. Eu também sou especialista em procurar coisas que eu sei que joguei fora. E minha filha tem uma memória absurda. Lembra daquele pedacinho de kinder ovo que sobrou há 15 dias, da flor que ganhou mês passado…e lá vou eu procurar. Ela tem uma infinidade de boneca, mas é só eu me livrar de uma que é justamente essa que ela vai querer.

  6. Eu aprendi na marra, antes de jogar qualquer brinquedo fora eu escondo por uns dias 🙂

  7. Ufa! Fiquei cansada só de ler! rsrsrs…

  8. Propus que continuássemos a procurar a boneca kkkkk melhor parte.

Leave a Reply