Profissão: Babysitter

Se tem uma coisa que eu nunca entendi o porquê de não ser popular no Brasil é o serviço de babysitter.
A não ser que as coisas tenham mudado bastante, quando eu morava no Rio de Janeiro, isso não existia.
Existia empregada doméstica, babá e folguista, mas era muito raro eu ouvir falar sobre esse serviço tão importante para a sanidade mental das mães, principalmente das que ficam com as crianças em tempo integral e não podem contar com a ajuda da família.

Aqui na Irlanda esse trabalho é bem comum e bem remunerado.
O custo de uma babysitter varia entre 8.95€ (que é o mínimo que se paga quando a pessoa não mora no local de trabalho) a 12€ por hora.

Eu e o Rosinha usamos muito esse serviço, e a gente varia muito pouco de babysitter, quando a nossa vem, é uma festa e as meninas adoram (a Mia, precisa de 10 minutos ha ha ha).

Muita gente me escreve me pedindo dicas de como vir trabalhar como au pair, babysitter ou minder (note, são coisas bem distintas)  e eu já escrevi um post sobre isso, só nunca escrevi um post sobre como mãe, o que a gente espera de uma babysitter.

Repare, esse post se baseia na minha opinião e pode variar de família para família, mas são coisas básicas e pequenas, que agregam um valor enorme a esse trabalho tão importante (e valorizado) por aqui.

1- Toda Babysitter PRECISA principalmente gostar de criança.
Se você como babysitter não consegue lidar com 2 ou mais kids de uma vez, não aceite o job, se é o número de kids que a família tem.

2- Toda Babysitter PRECISA ser pró ativa .
É claro que, se a kid estiver com uma febre de 40• você pode ligar para os pais, mas por favor, não faça isso no primeiro ou qualquer choro da criança, toda boa babysitter tenta contornar a situação sozinha e só entra em contato quando é realmente necessário.

3-Toda Babysitter PRECISA ser pontual.
Normalmente quem contrata esse serviço, tem mesa reservada em um restaurante, uma festa, ou um show, ou seja, se você se atrasar, os pais também vão se atrasar.

4- Você é Babysitter, não é visita, se sujou alguma coisa ou as kids fizeram uma refeição na sua presença, não custa nada lavar a louça. Isso pode não ser obrigação, mas faz diferença quando os pais precisarem desse tipo de serviço de novo.

5- Mesmo que aja irmãos mais velhos em casa (como no meu caso) não espere ajuda deles, se os pais achassem que ele está apto a desempenhar tais funções, eles com certeza, não te pagariam para isso.

6- Brinque com as crianças, mantenha elas ocupadas, conte histórias, pergunte do que ela gosta e lembre-se, os pais escolhem a babysitter uma vez, se ela vai voltar, vai depender das crianças!

7- Escute atentamente as instruções dos pais e as siga, principalmente as que envolvem remédio e alimentação (se você acha que vai esquecer peça para anotar).

8- Lembre-se que você está cuidando dos bens mais preciosos de quem te contratou, então, trate com muito amor, porque eles confiam em você.

9- E em tempos de internet, nunca publique uma foto das kids alheias em redes sociais sem a autorização dos pais.

10- Já falei que você PRECISA gostar de criança?

E se onde você mora não existe esse serviço e você acha que está capacitado e AMA crianças, que tal começar a oferecer primeiro aos amigos mais próximos, vizinhos e familiares?

Aqui na Irlanda, muitos jovens que estão cursando a faculdade conseguem um bom dinheiro trabalhando a noite e aos finais de semana.

Porque não?

Facebook Comments

3 Comments

  1. Oi Karine, sou sua leitora já faz tempo mas não sou muito comentadora 😉
    Aqui no Brasil esse serviço está começando a aparecer devagarinho. Acho que vem alinhado com a mudança do mercado de trabalho, com a PEC das domésticas, etc. Muita gente já não tem mais toda a ajuda que tinha no passado e isso abriu espaço pra surgirem as baby sitters. Espero que aumente cada vez mais!

    • Olá Mônica, aqui no Rio de Janeiro eu ainda não encontrei este serviço. Até por isso fico mais em casa impossibilitada de sair , pois não tenho quem fique com a filha apenas por uma noite para sair….muito complicado. Você sabe de alguém para me indicar?

    • Karine, seus posts são pertinentes! Muito obrigada pela clareza que passa essas dúvidas qye temos sobre a Irlanda, principalmente para quem pensa em fazer intercâmbio por aí.

Leave a Reply