20 coisas que eu aprendi na Irlanda.

Coisas que aprendi na Irlanda
Coisas que aprendi na Irlanda

-Que sol, por si só não aquece.
As vezes ele só faz figuração e mesmo assim, quando ele está lá brilhando,
a vida é mais feliz.

-Que a gente pode sobreviver sem duas refeições quentes por dia.

-Que chá se toma com leite e batata-frita se come com vinagre.

-Que guarda-chuva, as vezes não guarda a chuva. Aqui quem manda é o vento.

-Que não é porque uma escola é pública, você tem que cruzar os braços e esperar tudo do governo.
Na Irlanda os pais realizam milhares de eventos para arrecadar fundos para a escola dos filhos, sem o pensamento de que dessa maneira eles estão “pagando” duas vezes. E veja só você, muitos pagam quase 42% do salário, em impostos.

-Aprendi que viver sem parcelamento é um alívio e um freio ao consumismo.

-Que muito banho estraga a pele.

-Aprendi que embora seja dificil conviver com ela, a saudade nao mata.-Que seja você muito magra ou muito gordinha, você vai encontrar roupas, na maioria das lojas,

-Que mulheres tem de FATO os mesmos direitos que os homens, na bebida, na saúde e na doença.

-Que trocar fralda, ficar em casa cuidando dos filhos e sair sozinho com os amigos, não é coisa de gênero, é coisa de gente.

-Que o mercado de trabalho se baseia nas suas habilidades e experiências e não pode ser medido pelo seu status social, idade, se tem filhos e de sua nacionalidade. (informações que não devem constar no cv)

-Que fazer bolo é uma arte dominada por 95% das mães irlandesas.

-Que ralo no banheiro e na cozinha, é um luxo, que as casas daqui não tem.

-Aprendi a ter paciência no trânsito e a não buzinar. Ninguém buzina.

-Aprendi a dirigir do lado direito e a tempo de não causar acidentes, consegui assimilar a “mão inglesa”.

-Aprendi que não preciso de empregada, babá ou similares.
Consigo me virar sozinha sem nenhuma ajuda que não seja a do meu marido e de uma babysitter vez ou outra para eu e o Rosinha fazermos algum programa que não envolva crianças.
Aprendi também a enxergar que no Brasil somos extremamente dependentes de mão de obra terceirizada e essa cultura de babá usando uniforme, faz tempo, não mais me pertence.

-Aprendi que modismo é pura bobagem e que o importante é o conforto.

-Aprendi que o melhor investimento é viajar!

-Aprendi que não existe comida mais gostosa do que a brasileira.
(ando até desconfiada que foi por isso que o marido casou comigo.)

-Aprendi que não sou menos feminina se eu não estiver de unha feita e nem de cabelo escovado todos os dias.

-Aprendi que o melhor dia de fazer compras de Natal é no dia 26 de dezembro.

-Aprendi a dar muito mais valor aos amigos, a quem entra na minha vida e a quem faz da minha estadia por aqui mais feliz.

E, mais importante do que tudo, aprendi que quando a gente escolhe com o coração, lá na frente, tudo se explica e a gente nunca para de aprender…

 

Facebook Comments

21 Comments

  1. E nunca paramos de aprender 🙂

  2. Lindo post, Karine! Eu sou super flexível com a cultura irlandesa e como de tudo que eles comem, mesmo. Já desencanei há tempos de dois pratos quentes por dia, entre outras coisas, mas a batata com vinagre não rola! hahaha

  3. Adorei a listinha e passei até saudade agora (:

    fiquei emocionada de ver meu blog listado aqui. many, many, many thanks!

  4. "Que trocar fralda, ficar em casa cuidando dos filhos e sair sozinho com os amigos, não é coisa de gênero, é coisa de gente."

    <3

    Adorei esse post e também já aprendi todas essas lições! Rs

    P.S: nossa, eu ia fazer um post no meu Facebook outro dia mesmo falando sobre esses 42% de desconto no salário da galera aqui que, por sinal, vai reduzir 1%, de acordo com o novo "budget".

  5. Super me vi no seu post!!!! x

  6. "Que o mercado de trabalho se baseia nas suas habilidades e experiências e não pode ser medido pelo seu status social, idade, se tem filhos e de sua nacionalidade. (informações que não devem constar no cv)".
    Ao ler isso lembrei de uma entrevista de emprego em que perguntaram com quem eu morava (com os meus pais, respondi) e em seguida se eu tinha namorado… Uma boçal invasão de privacidade, coisa de mentes medíocres. Brasil. São Paulo. Um dos colégios mais conceituados da cidade. Aff!

  7. Curti muito! Morei 1 ano no Canadá e aprendi muitas das mesmas coisas que você! 🙂

  8. Hhahahaha, li muito com esse post. Adorei a parte da igualdade na bebida, rs! Quero muito conhecer Dublin (que já amo muito sem nunca ter ido, principalmente por conta da música). E me identifiquei com várias coisinhas, que são assim também aqui na Espanha, como a questão do parcelamento e do ralo, rs!
    BEijo

  9. Muito bom ler suas constatações e perceber que sempre somos muito adaptáveis…Confesso que quase não passo por aqui por te seguir mais no face mas, prometo voltar mais vezes pois, o seu blog, além de fofo, é acolhedor, sinto como se estivesse conversando com você no sofá, rsrsrs Estou num momento muito introspectivo e refletindo sobre ir embora do Brasil, ler seu blog vai me fazer bem! 😉 Beijinhos

  10. Hoje te entendo perfeitamente! A vida é completamente adaptável.
    Muito feliz por você amiga. Beijão.

  11. Gostei flor!
    Mas esses detalhes já escrevi em outros posts sobre cultura, esse post de hoje em específico foi sobre as coisas que eu mudei em meu comportamento desde que vim pra cá….

  12. Upisss!
    Então tá bom!!!

  13. Ah Marieeeee não precisava excluir! Estava tão bonitinho! 🙁

  14. Essas sao as coisas que tenho aprendido também! Que delícia de post!
    Super beijo, Ká!

  15. Fiquei com vergonha!!!

Leave a Reply