Sobre a chupeta do Dom.

E outras coisas que não são da sua conta.

Outro dia, uma atriz famosa, postou a foto do filho no instagram.
De chupeta.
Mãe que tem acesso a informação e que pode fazer escolhas conscientes.
Não parece faltar nada para o menino e também não parece faltar amor.
Mãe plenamente capaz.

Ali, naquele momento, ela só resolveu fazer o que a maioria arrebatadora de nós fazemos todos os dias, ela resolveu compartilhar com o mundo a foto do filho.
E você precisava ver os comentários:

“Que absurdo essa criança usar chupeta!” ,
“Não aguenta ouvir choro de criança, não deveria ter tido filho”,
“Chupeta faz mal para os dentes, estou falando pelo bem dele.”

Não, sinto muito lhe informar.
Você não está falando pelo “bem” dele, você está fazendo esse tipo de comentário na foto alheia, porque você é chata.
Porque quer se meter na vida dos outros, porque quer dar opinião onde não foi chamada, porque acha que a partir do momento que caiu na “rede” a pessoa merece ser julgada.

Já vi uma matéria, sobre a Gisele bundchen, onde ela saía de um vôo super longo, carregando a filha no colo (vestida confortavelmente) e a maioria dos comentários dizia o quanto a giselda era relaxada em “nem ao menos pentear o cabelo da menina”, nem colocar uma roupa “digna de filha de celebridade” , gente apontando o dedo e dizendo o quanto ela não estava cumprindo seu papel direito, papel de enfeitar a filha do jeito que a comunidade exige. Logo Giselda, que pariu em casa e dá brocolis para os filhos de sobremesa!

Acho a internet a primeira maravilha do mundo.
Nem sei como seria a minha vida sem, aliás, até sei, porque já tentei ficar e meu recorde foi de uns 3 dias nas férias. (porque eu estava de férias e tinha coisas mais interessantes para fazer, porque em dias normais, acho que meu recorde foi de sei lá, umas 10 horas? acho que por aí…) e posso te garantir, minha vida não melhorou, piorou, nem nada.
A internet já está tão inserida no contexto da vida, que checar email e Facebook faz parte das necessidades fisiológicas dos seres humanos e isso não é tão ruim. Ruim é ler o que juízes de plantão tem a dizer sobre a vida de terceiros.

Tenho certeza que existe uma sociedade anônima só esperando uma postagem ou uma foto, para criticar. Gente que olha para uma imagem e pensa :
“Hummmm, o que será que eu posso comentar aqui que faça com que quem tenha postado se sinta mal?”.
Acredite gente.
Existe.
E eles tem se multiplicado na velocidade da luz.
E eu mesmo, para evitar a fadiga, já deletei foto de filha minha tomando suco de maça, porque eu tinha certeza que alguém ia perguntar se aquilo era coca-cola.

Eu adoro trocar informações com mães.
Gosto de saber a opinião de muitas delas sobre alimentação, sono e tudo mais que envolve a rotina de uma criança. Quando converso com alguém, converso de ouvidos atentos e completamente aberta para mudar a minha opinião a respeito de alguma coisa. Morando em um País diferente, com uma cultura diferente, gosto de aprender sobre os mais diversos pontos de vista.
Mas gente, se tem uma coisa que é universal, é o bom senso.
Vamos parar com o papo furado de que “só está comentando para o bem da kid”.
Você não está preocupada com a kid.
Se tivesse tanta gente preocupada mesmo com kids alheias, Bernardos e Isabelas não morreriam todos os dias.
Preocupe-se com o que merece sua preocupação e não se fulana da chupeta para o filho, ou se a outra resolveu não furar a orelha da filha.

Nada faz mais bem para uma criança, do que ter uma mãe feliz e segura de suas escolhas, mesmo que essas escolhas sejam diferentes das suas. Né?

 

Facebook Comments

9 Comments

  1. Mulherrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!! Tu é demais!!! Olha, eu leio sempre seu blog e amo. Mas tem uns posts que eu amo mais do outros…Sei lá, me identifico. Abordagem massa!!! Esse foi top!

  2. Coberta de razão dos pés à cabeça e hilária! Quando a pessoa diz:"é para o seu bem", lá vem bomba.

  3. Eu amei esse texto! O problema é que esses "conselhos para o bem da criança alheia" são dados a partir de um ponto de vista as vezes contrário daquela família. Eu sinceramente não sei como as mães aguentam tanto pitaco.

  4. Amei o seu blog. amei os seus posts, amei tudo! Fiquei lendo igual a uma alucinado o final de semana inteira, pois só o descobri na sexta-feira, no blog Carol e suas Babyboseiras.
    Tem gente que é chata para dedéu mesmo aff
    Parabéns pelo blog.
    Karina
    http://www.donainconformada.blogspot.com

  5. Pois é… A internet fez com que as pessoas se sentissem muito confortáveis pra sair por aí apontando dedo. E o que me surpreendeu mais, é que essas pessoas estão exercitando o mal hábito no sofá, e depois fazendo grosseria na rua também.
    Meu namorado tem um filho, que eu trato com o maior carinho do mundo, mas é filho dele, né. Outro dia estávamos os 3 num restaurante, quando uma Senhora, percebendo que o menino estava fazendo manha para comer, e quem estava lidando com a situação era o homem, fez o seguinte comentário, praticamente na minha orelha: "essa menina não merece ser mãe". É o cúmulo da falta de educação, de noção. Eu apenas respondi "e a Sra, se metendo onde não foi chamada, falando da vida dos outros, vai ensinar o que de bom pros seus filhos?". Obviamente, não saiu um pio da boca. Porque é assim mesmo… fácil é falar dos outros.

  6. Amei a última frase: "Nada faz mais bem para uma criança, do que ter uma mãe feliz e segura de suas escolhas, mesmo que essas escolhas sejam diferentes das suas." A minha ex-chefe dizia o mesmo de uma forma mais curta: Boa mãe é mãe feliz!

    Bjos!

    Jor http://lauraloiramarinamorena.blogspot.ch/

  7. pior que sexta e sábado não aparece nenhum pitaqueiro pra ficar com a kid pra pobre mãe cair na gandaia (ou dormir 8 h). mas no resto do tempo, é pitaco 24/7 kkkk

  8. Direto ao ponto, falou tudo.

    Assino em baixo rsrs

  9. Pensei que só eu me incomodasse com esse tipo de coisa!
    Tem horas que me acho um ET, pois o que os outros fazem não é da minha conta… e as pessoas se incomodam por eu pensar assim!

Leave a Reply