Torre de Babel

Essa semana saiu na mídia várias reportagens sobre a igualdade trabalhista para empregadas domésticas.Na minha santa ignorância, achava que isso já estivesse acertado tempos atrás, mas parece que não e também parece que eu era a minoria que já aplicava todos os direitos (com exceção da licença maternidade, que nunca precisei buscar informações, mas carteira assinada, aumento e férias, sempre fizeram parte do pacote de quem me ajudava e muito bem a cuidar da minha casa e do meu filho enquanto eu não estava presente).

Olhando de longe, hoje com um olhar crítico, confesso, acho que nós brasileiros temos muito o que aprender com os europeus, pode até ser que eles não tenham uma casa organizada como as que nós classe média e classe média alta estamos acostumados, mas todos aqui conseguem sobreviver sem ajuda tercerizada.
Conheço várias irlandesas que trabalham fora e mesmo com 3/4 filhos não contam com uma empregada full time, é claro que ou elas optam pela creche em horário integral ou por uma nanny, que é paga por hora (€10) exclusivamente para tomar conta das crianças e da vida delas, o que não inclui lavar, cozinhar ou passar para a família.

Quando conheci o Rosinha e ele soube que enquanto eu estava aqui, o Breno tinha uma pessoa que cuidava dele de 2º a 6º, ele achou que eu fosse rica, o que não é mentira, porque, né? tenho muita saúde e tals…mas o fato é que na cabeça deles das duas 1, ou é exploração manter uma pessoa trabalhando mais de 40 horas semanais ou é excesso de dinheiro, acho que a exploração se encaixa mais nesse caso.

Veja bem, não estou criticando 1 pessoa em específico, estou fazendo uma crítica a algo que é cultural e que todos nós estamos vendo, está desmoronando, a participação do homem nos cuidados domésticos no Brasil ainda é bem pequena e sabemos que não dá para a mulher ter jornada dupla e as vezes até tripla de trabalho, o problema é que hoje em dia já vejo por meio de redes sociais a dificuldade que é encontrar uma empregada doméstica nas condições a que estávamos acostumadas, daqui a 10 anos, pode escrever, vai ser impossível, ou a gente acorda e realiza que se a mulher corre atrás de ter os mesmos direitos dos homens, as empregadas domésticas tem o mesmo direito dos empregados urbanos e rurais.

Aqui na Irlanda eu ganhava €9 por hora para trabalhar em uma loja bacana no shopping, enquanto que as Babysitters e nannys ganham €10, é verdade que aqui esse mercado também acaba sendo informal e as babás tem pouco ou quase nenhum direito assegurado, mas 95% das pessoas que desempenham essa função, desempenham como algo temporário, são estudantes universitárias ou intercambistas que unem o útil ao agradável enquanto conseguem uma graninha.

Eu ainda conto com ajuda de uma babysitter para sair com o rosinha, mas só, até a cleaner dispensei.

É fácil dar conta de 3 filhos, marido, casa grande?
Não, não é, mas ninguém morre disso.

Minha casa é arrumada? É, sim senhor!
Eu passo todas as nossas roupas? Não, não senhora!

Cultura é algo muito difícil de mudar, mas como as coisas estão evoluindo, parece que o difícil não é impossível.

E quer saber? Que coisa maravilhosa é se libertar de qualquer dependência e se sentir capaz de exercer a função na qual a gente se dispôs.

.

P.s.: Outra categoria comum na Irlanda são as Au Pairs, que podem morar ou não com a família, nesse caso, elas tem horário estipulado de trabalho e como se trata de estudantes, são liberadas para ir para escola e tem o final de semana livre. O salário varia de casa para casa, de acordo com a quantidade de crianças, mas na maioria das vezes o serviço é restrito as kids.

Facebook Comments

16 Comments

  1. Realmente , encontrar uma "secretária" do lar (politicamente correto ao invés de empregadda) esta quase impossível ,mas ainda bem nem tudo esta perdido , enfim conseguiram uma vitória mais que merecida! Por outro lado , culturalmente falando , ainda temos pessoas – conheço várias , que precisam de empregada e babá! E olha , a babá é 24/7 ! A mãe quase nem vê a baby:( E por essas e outras , tiro o chapéu pra vc minha "amiga" ! Cuidar das kids , hubby e casa principalmente em outro País não é mole não !!!!

  2. Você falou tudo!!
    No Brasil tem muito essa necessidade de se ter uma empregada doméstica. Conheço mulher que nem trabalha e tem empregada!
    Sempre falei pro meu marido que até quando eu tiver condições, eu faço questão de cuidar da casa, da roupa, da comida…
    Já demorou para as empregadas doméstivas terem os mesmos direitos dos outros trabalhadores, né!!
    Beijo

  3. Certíssima!!!!!!! O quadro tá mudando….brasileiras e brasileiros mão à obra!!!! Os maridos precisam chegar juntinho para o bem e a harmonia do lar!!!!!!

  4. Certíssima!!!!! Brasileiros e brasileiras mãos à massa!!!!! Maridos acordem!!! vamos chegar juntos para o bem e harmonia dos lares brasileiros!!!!

  5. ka primeiro concordo com TUDO que voce falou.
    Segundo, o que vai mudar mesmo aqui é o pagamneto do FGTS, não é? Ferias, carteira assinada, decimo terceiro já sao direitos. Embora não sejam cumpridos em todos os casos.

    Terceiro, aqui tem um grande agravante, ser babá ou empregada não é temporário aqui. É unica opção mesmo. O perfil destas profissionais aqui difere muito das daí, por exemplo.O que eu quero dizer é, enquanto a desigualdade for tão gritante, não consigo visualizar uma solução. Eu trabalho fora, eu tenho empregada e ela tem todos os direitos, e so cumpre a carga horaria. Um adendo, a Rosa lê e escreve só o essencial. Ou seja, suas perspectivas são restritas. Vai trabalhar de que mais ???

    Resumo da opera: tem muito o que mudar no Brasil! O buraco é bem mais embaixo….
    Beijo

  6. Concordo com oq vc disse, acredito que sim, elas tem direitos como qualquer outro trabalhador, mas devemos levar em conta que a grande maioria não possui educação além do ensino fundamental, se isso! Quanto mais caro fica contratar uma empregada menos gente contrata, e dai elas vão trabalhar aonde?
    Quem mora no Brasil sabe o quanto é dificil arranjar emprego – uma vez que o próprio governo não fornece o suporte necessário – então muitas elas acabam por preferir tirar os filhos do colégio para que ajudem com as contas de casa e assim por diante, transformando o problema em uma bola de neve.
    Essa questão pode, a princípio, parcer cultural, mas na realidade acredito que o buraco seja mais embaixo, infelizmente! :/

    • Juliana, Concordo com você, o buraco é sim mais embaixo, mas a gente tem que fazer a nossa parte socialmente também.
      A ex-babá do meu filho teve meu apoio total para voltar a estudar, eu a preparei para quando não precisasse mais dela, hoje ela é gerente de loja e deve ganhar no mínimo o dobro do que ganhava, sei que o Brasil precisa mudar muitas coisas e para muitas delas ele não está preparado, mas infelizmente temos que cada um fazer a nossa parte, não abdicando delas, mas dando a elas seus devidos direitos…

  7. Poxa, eu era nanny e nunca ganhei 10 a hora nao =( eu ganhava menos q 6 euros por hora.. normalmente soh ganha 10 no babysitting mesmo… ou se a nanny eh irish. Todas as babas em volta de onde eu cuidava dos meus ganhavam no maximo 8 =/
    Tem muuuita familia irish abusando do nosso trabalho, qse nunca vc nao tem um servicinho na casa pra fazer… Eu dava faxinao qse todo dia!

  8. Poxa, eu era nanny e nunca ganhei 10 a hora nao =( eu ganhava menos q 6 euros por hora.. normalmente soh ganha 10 no babysitting mesmo… ou se a nanny eh irish. Todas as babas em volta de onde eu cuidava dos meus ganhavam no maximo 8 =/
    Tem muuuita familia irish abusando do nosso trabalho, qse nunca vc nao tem um servicinho na casa pra fazer… Eu dava faxinao qse todo dia!

  9. Ka, te adimiro muito … senhor, 3 filhos e um marido e vc da conta! …. eu nao vejo a hr de ter uma pessoa pra me ajudar!!! … mas isso eh verdade, na casa aonde eu trabalho como nanny, eles mroam numa super puta casa, e tem cleaner de 15 em 15 dias e so pra limpar .. nada de arruma a bagunca ou lavar roupa …. a cabeca da gente muda … !!!

  10. Já vivi as duas realidades, e vou contar que me sinto bem feliz em hoje poder contar com ajuda, paga dignamente, com carteira assinada e todos os direitos assegurados, inclusive os próximos que vierem . Mas, sei que se for preciso consigo me virar, sem me descabelar (muito)…É bom vivenciarmos realidades diferentes, e saber que podemos nos adpatar a elas, mas também não vejo mal algum em me beneficiar corretamente e gerar empregos.
    Realmente, é uma atividade em extinção, mas espero que dure até meus meninos crescerem… porque eu até dou conta, mas aqui no Brasil, as exigências são outras e diferentes, por isso, dar conta da casa se torna um fardo bem mais pesado do que em outros países (como EUA, onde morei anteriormente).
    Te admiro muito, admiro todas as mulheres e minhas amigas que se viram com casa, marido e filhos mundo afora. E te digo, que a gente aqui apesar desse alívio, sofre com a pressão de emagrecer com rapidez após a maternidade, em usar roupas da moda sempre muito bem passadas (argh), em estar com as unhas feitas.. etc… Ai, bateu até um desespero… acho que troco minha ajudante, por uma vida com menos pressão no quesito beleza, vaidade, magreza 🙁

  11. eu tb acho bem dificil nanny na irlanda ganhar 10 por hora. algumas ganham, mas é raridade (falo pq conheci muitas). e au pair, na maioria dos casos é exploraçao. quase todas as que eu conheci trabalhavam beem mais que 20 horas por semana (eu, felizmente fazia 20 hrs só, mas TODAS as meninas da vizinhança faziam 40 ou quase isso). o salário é baixo, as crianças mimadas e sempre tem que fazer serviço extra de limpeza. e nem todas tem os fim de semana livre, eu, por exemplo tinha que trabalhar no sabado sempre.

  12. Nossa Ká, onde tá o post sobre como vc dá conta da casa com 3?

    Eu com uma baby aqui na Holanda já tô ralando!!! Me ajudaaaaaaaaaaaaaaa, realmente preciso. Essa semana foi o chueque-mate aqui em casa!

    Bj

  13. I don t like your blog anymore! Although I still like you and your family!

Leave a Reply