O post mais longo da história desse blog.

Fazia muito tempo que eu queria/precisava escrever esse post, mas sempre adiava, preguiça de assuntos sérios, sabe como é.
Faz 6 anos que tenho o blog e acho que eu posso contar quantos posts baixo-astral eu já escrevi sobre a Irlanda e sobre as dificuldades de se morar aqui, o que de fato não significa que elas não existam, simplesmente eu não gosto de mimimi, né?
Eu não sinto uma energia boa quando visito um blog onde a blogueira só reclama, reclama, reclama ZzzzZZZzzzzz, eu corroooooo pelada de toalha enrolada na cabeça, não que eu ache que a vida seja um mar de rosas ou que eu viva em um conto de fadas, mas cara, de boa, me diz o que você aí do outro lado tem a ver com isso e o que você pode fazer alem de sentir pena de quem só se lamenta?

Olha, que fique claro, eu não estou falando de um post ou outro de desabafo, tô falando de blog estilo jornal “O Povo”, mas acho sim que quem escreve sobre um determinado assunto não pode ser leviano e tratar uma mudança tão grande de vida de forma banal, então senta que lá vem a história.
Muita gente cai de paraquedas aqui no blog trazida  por pesquisas do google sobre intercâmbio (acertei?) e se faz pesquisa é porque tem dúvidas, medos, inseguranças e muitas perguntas.
Daí entram aqui e dão de cara com uma neguinha que em menos de 2 semanas conseguiu emprego no shopping (grandes M), 1 mês conheceu um rosinha, que assumiu o filho dela (orfão de pai) como se fosse dele, casaram, procriaram, (não exatamente nessa ordem) e pimba, acham que a minha vida é perfeita, que eu encontrei o mapa da mina, o príncipe encantado, dei o golpe do baú (ou do passaporte, o que preferirem) e Dublin é a capital da felicidade dos finais felizes.
Gente, não é.
Nem a minha vida (porque tenho que lavar, passar e cozinhar), muito menos Dublin.
Sabe porque eu sou feliz aqui?
Porque eu já era feliz no Brasil.
Ser feliz depende muito pouco de onde você viva, não que segurança, tranquilidade e um trabalho decente não ajudem, ajudam, mas intercâmbio não é remédio para cura de nada.
Tô falando isso tudo porque mesmo sem ter responsabilidade alguma, tenho me sentido mal por algumas histórias sem finais felizes, semana passada recebi uma mensagem anônima que me acusava de “vender um peixe” que não era realidade, ora, eu não faço propaganda de escola de inglês e muito menos de agência de intercâmbio justamente porque  NÃO QUERO vender ou influenciar algo que eu não tenha conhecimento de perto, principalmente porque eu sei, que essas empresas não vendem cursos, quem compra um intercâmbio tá comprando um sonho, investindo pesado e as vezes jogando tudo para o alto, mas daí eu ter que “fingir” infelicidade para agradar 1/2 dúzia de despeitados, não vai dar, passa outro dia.
Não acho que Dublin seja o destino certo para quem não está 100% convencido de sua escolha ou 100% de bem consigo mesmo, aliás, quando a gente não está bem, nem “fugir” para Dublin e nem lugar nenhum vai ser a solução.
É difícil acordar e dormir em uma cidade fria e cinza.
É.
É difícil recomeçar, construir laços, criar relações com estranhos, se sentir enturmado, se sentir sozinho, se sentir angustiado, se acostumar com a comida e se sentir assombrado pela dúvida se o que se fez foi certo.
Claro que para quem gosta de sol aqui teria que ser a última escolha, mas acho que não se adaptar tem muito mais a ver com seu estado de espírito do que se o dia está bonito lá fora.
Não se iludam, mudar não é fácil, nem aqui e nem na China.
A prima de uma amiga de infância veio, viu, não gostou e em menos de 1 mês voltou, tudo bem que ela não estava 100% bem, mas acho que é preciso muita coragem para desistir assim nas primeiras dificuldades, depois que o “pior” já passou, eu não desistiria, mas eu sou eu, e cada um sabe dos seus limites, cada um sabe o que importa e no final das contas estar bem é o que a gente busca, mas é muita, mas muita inocência achar que mudar de País é moleza, né? até porque, para comer feijão, arrumar um emprego dos sonhos de primeira, morar num lugar legal sem encontrar dificuldade nenhuma não se chama intercâmbio, se chama sonho de uma noite de verão, verão esse que NÃO temos em Dublin nem no verão.
Vejo milhões de desabafos de brasileiros no Facebook, twitter, outdoors e entrevistas dizendo que os patriotas deviam ser mais unidos, mais bacanas uns com os outros mas e aí? todo mundo tem seus problemas minha gente, não dá para parar a vida, abrir a casa, a cozinha e a carteira para todo o desconhecido conterrâneo que precisa de ajuda, e infelizmente eu ainda não tenho secretária para me ajudar a responder emails com dúvidas tão fáceis de serem tiradas em sites especializados de intercâmbio que eu chego a ter pena, porque sei que pessoas acostumadas com tudo de mão beijada, dificilmente conseguem passar perrengue, não é mesmo?
Então se você quer um conselho de quem já passou por isso, lá vai:
Não se espelhe na vida de ninguém, nem nas pessoas de sucesso, nem nas que tiveram dificuldades, se espelhe em você, se analise, se imagine em situações difíceis, tenha um plano B e principalmente não conte com ninguém além das pessoas que realmente se importam.
Se adaptar não é fácil.
Se você perguntar pra Mia se “andar” é, ela também vai dizer que não, mas tenho certeza de que daqui a pouco ela vai estar “correndo” e você também.

Boa sorte, mas mais do que isso te desejo coragem. (e um pouquinho de bom senso para que se as coisas não derem certo, você não culpe uma pessoa que nunca te viu na vida, porque, né? Deus tá vendo.)

Dublin como você vai ver 1 dia.
Dublin como você vai viver no dia-a-dia

                                                          Foco, Força e Fé, meu povo.

“Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância . Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.”
Augusto Cury
.

Facebook Comments

39 Comments

  1. Falou tudo ! Qq lugar é EXCELENTE desde que vc esteja bem com vc! E intercâmbio….ah , não é fácil não….mas vale muitooooo a pena :)Excelente post , como sempre !

  2. Isto mesmo, cada pessoa é única, cada um tem um limite…é PReciso nos conhecer antes de querer conhecer o mundo…ë igual quem casa pra ser feliz, se vc não é feliz antes, não tem auto estima, dificilmente vai poder fazer o outro feliz. Se vc não tem garra pra lutar no Brasil, não é fora dele que vai virar guerreiro

  3. Sem comentários!! Você falou tudo e mais um pouco sobre a mudança de país e eu concordo muito contigo principalmente na parte que você diz que temos estar felizes e não fugindo de problemas. Adorei!!!

  4. Amei o post, até mesmo porque eu nunca vi você vendendo peixe nenhum,eu mesmo que leio aqui diarimante, nem sabia ao certo como voce parou por ai,rsrsrs.
    Criticas de gente sem ter o que fazer sempre vao existir, esquece, deixa pra lá.
    Beijos lindona e viva sua vida…

  5. Kássia Janys Hannigan

    Amei seu post e concordo plenamente com tudo que voce escreveu. Eu mesma por exemplo, achei seu blog em pesquisa do Google.Nao vir fazer intercambio,nem férias, casei com um irlandes e sem nunca ter saido pora longas distancias da minha cidadezinha, vir morar na Irlanda. E seu blog como eu disse, no primeiro comentario que fiz foi :voce esta me ajudando a encarar a mudanca com naturalidade e tranquilidade.
    Mas nunca me espelhei em nada, porque como vc mesma disse: cada um é cada um e primeiro devemos estar bem resolvidos interiormente…
    Amo seu blog, seu jeito bem humorado de escrever.

  6. Ah, eu também te culparia porque é tão mais fácil culpar o outro, cê não acha? Falando sério, uma pessoa lê sobre as experiências de outra e acha que vai acontecer o mesmo com ela é muito ingenuidade, né não? Se esse tipo de gente passar lá no blog vai desistir na hora de mudar para os EUA 🙂

  7. Ká, como sempre venho todo dia ler seu blog, mas poucas vezes comento. Coisa muito feia eu sei, porque eu também sou blogueira. Como você mesmo diz: Deus está vendo! haha

    Mas dessa vez não poderia de deixar de te parabenizar por ler meus pensamentos, você publicou exatamente a minha indignação! É difícil viver aqui ou em qualquer outro país fora do Brasil, ou até mesmo dentro dele! Mas eu mesmo já estou indo para meu terceiro ano de Dublin, então significa que a gente sobrevive, e aprende a amar. E como você falou, isso depende somente de você, do seu estado de espírito e do quanto você está disposto a sair da zona de conforto!

    Vou salvar esse link aqui, e toda vez que algum chato postar os mimimi de sempre no facebook (tá frio, ta cinza, knacker, blablabla), vou sempre postar o seu link e mandar um #ficaadica (hashtag que eu odeio, mas nesse caso merece muito! hahaha

    beijão!

  8. Muito bom!!!!! Já vi gente te criticando por vc estar sempre com esse "ar" de felicidades nos seus posts, vc explicou, espalhar problemas pra quê????? Além de dar uma lição pra quem precisa…algumas verdades não precisam ser ditas. Arrazou!!!! bjs e PARABÉNS!!!

  9. Oie, leio sempre seu blog mas hoje tenho que te parabenizar por este ÓTIMO post e é engraçado ver como a gente se identifica muito com tudo.
    Continue escrevendo e sendo essa pessoa iluminada!

  10. Perfeito! É tudo o que tenho a dizer!
    Beijos!

  11. amei esse post . estava estudando a algum tempo fazer um intercambio em dublin e buscando uma experiência longe do brasil , …. ia atirar tudo pro alto emprego…casa. Um dos blogs q pesquizei foi o seu e só me ajudou .Então decidi fazer somente uma viagem d férias sozinha. Fiz um mochilão no último mês para 4 países .Minha ultima parada fou Dublin, e com essa experiência cheguei a mesma opinião q vc , as coisas não são tão faceis .Quando se é mais jovem acho q vale arriscar … eu já estou com 33 anos e com uma vida estruturada então decidi ficar no Brasil . Mas amei a Irlanda , as pessoas …mas como vc relatou a felicidade está dentro da gente e não em um lugar ou alguém . Percebi q sou abençoada com tudo q tenho .Um abraço e obrigada por tudo.

  12. Seus posts só me beneficiaram. Estive em Dublin mês passado . é bem como vc relatou. As coisas não são tão fáceis assim . Tinha planos de fazer um intercâmbio atirar tudo pro alto deixar emprego casa , mas após muito pesquizar cheguei a conclusão q eu mesma precisava ver de perto como é a vida fora do Brasil. Comprei passagem e sozinha fiz um mochilão para 4 países durante as férias e minha última parada foi Dublin . Amei a Irlanda apesar de ser cinzenta….. , A pessoas são realmente diferenciadas e especiais . Próxima folga a Irlanda será meu destino. Um abraço e obrigada por tudo , me ajudou muito mesmo .

  13. Oiee!Achei muito válido seu texto, cada um faz o próprio destino,não pode tentar imitar ou se espelhar em ninguém!Valeu as palavras!

  14. Nossa! Adorei o post! Concordo que a felicidade está em nós, e não num pote de ouro no fim do arco-iris… Acredito que sua contribuição é mega importante pois podemos ver sua experiência e analisar : "isso seria bom pra mim? será que eu conseguiria isso?" Você está de parabéns!!! Felicidades pra vc, sua familia linda e mto sucesso para os próximos posts 😀

  15. Pai do céu..eu adorei o post, muito inspirador, mas gente que culpa uma blogueira mãe de família pelo fracasso no intercambio..aff..a pessoa não tem capacidade de assumir a responsabilidade por suas escolhas, quer fazer intercambio como??????????

  16. Adorei a comparação das fotos!
    É pura verdade… estar de passagem em um lugar como turista é uma coisa, mas morar e enfrentar todas as diferenças culturais e climáticas é completamente diferente. E a adaptação não deve ser fácil para ninguém!
    Tem tudo a ver também, quando vc escreve sobre as pessoas que se enganam achando que pq vão mudar para outro país os problemas vão se resolver… puro engano… os problemas vão na bagagem disfarçada de ilusão…
    Acredito que vc tenha passado momentos difíceis, e ainda passe… mas é como vc diz… o importante é fazer dos obstáculos uma forma de se usar a inteligência, e superar todos os problemas. Porque problemas todo mundo tem!

    Não esquenta com os comentários que te fazem infeliz!

    Bjs carinhosos!!!! 🙂

  17. Clap Clap Clap mil vezes!!!
    morei aí 3 anos e passei mto por isso.Principalmente no último ano, só pq eu tinha "aguentado" 3 anos,eu sabia de tudo, tudo tinha dado muito certo, tudo era fácil, a minha vida era perfeita,aí quando eu falava a real pra alguém que tava perdido e querendo ir,eu era egoísta, que nao queria ajudar ninguém! affff

  18. Karine, sempre leio os blogs de pessoas que estão na Irlanda, sabe, e devo te confesar que o seu e o Vida na Irlanda são os meus favoritos. Concordo em tudo o que tu falastes, e o que me faz visitar esses dois blogs específicamente é o alto astral. Adoro o fato de vc nao ser mimimimimi…..assim como um blog ai q eu encontrei de alguém q vive tbm na Irlanda. PQP.
    Parabéns, vc é nota 10!Continue assim sempre, com esse astral, essa família linda e alegria de viver!!!
    Abraço

  19. Como sempre, nem em um port de desabafo vc consegue fazer a gente deixar de rir e de gostar de passar por aqui!
    Assino embaixo!!!
    Amei o post!!!

  20. Esse povo devia procurar Alice, ela sim conhecia o país das maravilhas!

    Mesmo quando você reclama de alguma coisa, ainda é com muito humor! Seja feliz e grata, independente das circustâncias da vida, você tem uma família linda! bj

  21. Ka, este seupost me tocou muito.
    Quando vim para o UK (com um agora ex-boyfriend) tinha em mente que nao seria facil e estaria preparada para tudo. Voce esta certissima, a forca esta dentro de nos mesmos e nao nos lugares. O tal do meu ex fez um inferno na minha vida vivendo aqui, fez as coisas ficarem muito mais dificeis do que eram e me culpava todos os dias por ter vindo para ca. Eu estudando pesado para conseguir aprender a lingua, e ele nada, eh muito dificil, ele me dizia. Consegui emprego no dia seguinte ao chegar por aqui e ele nada de emprego em 1 ano! Eu sustentando o marmanjo sem reclamar e ele soh na minha cabeca! Mandei ele catar coquinho eh claro. Logo em seguida encontrei meu marido lindo, que acontece de ser ingles. Ele me faz sorrir todos os dias desde que nos encontramos ha quase 10 anos. O tal do ex, nunca mais vi mas ouvir falar que ainda esta por aqui, sei la sugando energia de alguma outra pessoa de boa fe. Mas como voce disse Ka, voce tem que estar legal por dentro, aqui ou em qualquer lugar. Adorei o seu post. Desculpe o longo texto. Thanks for sharing 😉 xx

  22. O dia que as pessoas aprenderem que ser feliz requer esforço e que o paraiso não existe, as coisas vão ficar bem mais faceis, essa é a verdade.
    A primeira vez que fui morar fora eu tinha 18 anos, fui morar em um Kibbutz no meio do deserto do Negev em Israel, sai da vida mansa de mesada gorda e empregada, pra dividir uma casa com mais 3 meninas e nas horas vagas colocar melão em caixinha, afinal, no kibbutz todo mundo ajuda.

    De longe foram os dias mais pesados da minha vida, eu estudei muito, ralei muito, mas também foram uns dos melhores. Sim, eu fui muuuuuito feliz naquele deserto, com aquela galera, mas como vc disse "fui feliz porque eu JÁ era feliz!".

    Depois morei na Alemanha, na Suécia, na Irlanda e por fim na Holanda, em todos esses lugares tive meus altos e baixos, mas poxa, quem não os tem? Eu tinha meus altos e baixos no Brasil, morando na casa da minha mãe, porque não os teria morando tão longe?

    Foi bacana seu texto, bacana sua atitude, mas infelizmente tem gente que só enxerga oque quer e é bem capaz de ter gente lendo e dizendo "ela se deu bem e tá dizendo tudo isso porque não quer que eu vá me dar bem também!". ACREDITE, tem quem pensa assim e eu te digo porque eu ouvi isso, não uma, mas muitas vezes de meninas que me perguntavam como era a vida e quando eu contava os "bastidores" me diziam "ahhh pára de jogar agua fria!" ouuuu "se fosse assim tão dificil vc não estaria ai!", eu cansei e hoje eu até evito entrar no assunto.

    Mas a quem interessar possa, ser feliz dá trabalho e se vc estiver disposto a trabalhar pra isso, vai ser feliz em qualquer lugar, senão, nem na sua casa no Brasil e nem em qualquer do mundo vc estará bem. =)

    Beijocas

  23. Adoro seu blog, mesmo vc contando as dificuldades, isto tudo parece tão certo! Não sei….não conheço a Irlanda (pena) mas gostaria de conhecer, talves em outra vida, solteira de preferencia rsrsrsrsrs porque sair do meu pais e ir para outro é coisa pra quem tem a si mesmo pra contentar, pelo menos no início, e quanto ao sol, sou branca pra caramba, não faço muitaquestão dele não rsrsrs, felicidades pra vc (de verdade) bjsss

  24. nada a dizer além de ARRASOU! Bjo amiga, Jacq

  25. É por aí mesmo.

    Estou aqui na Irlanda faz 7 anos. No começo não foi fácil. Dividi quarto com desconhecido, levei calote de empregador, de “amigo” que dividia a casa, “Engoli uns Sapos” enormes, mas com a ajuda de DEUS, hoje as coisas estão bem. Aprendi inglês, consegui documentação, casei (minha esposa é brasileira), tivemos nossa filha que nasceu com cidadania irlandesa, trabalhamos, ficamos desempregados, passei por cirurgia e estamos agora finalizando a compra da nossa casa aqui na Irlanda.

    Fácil não foi, mas DEUS nos ajudou em tudo. Tem gente que só sai do lugar se for carregada pelos outros. Daí não dá mesmo. É melhor nem mudar de quarto dentro da casa…

    Abraços!

  26. "Ser feliz não é ter uma vida perfeita" é uma grande realidade. Não adianta a pessoa ser pouco feliz ou mesmo infeliz no Brasil e de uma hora pra outra achar que morar em outro pais resolverá tudo…Mero e GRANDE engano….

    A vida é feita de escolhas a pessoa deve aprender a tomar rédeas da vida

  27. A liberdade das redes sociais, o uso indevido da palavra e a falta de bom senso. Ta aí, um problema de milênios. Belíssimo texto.
    Beijão.

  28. Excelente reflexão, Karine! Conheço um monte de gente que acha que morar fora é um mar de rosas, mas na verdade é aquilo que você falou: sonho! A realidade é bem diferente e não é pra qualquer um. Eu morei fora do Brasil duas vezes e estou me preparando para uma terceira. Eu amei os países em que vivi com suas belezas e dificuldades. E também aprendi a valorizar mais o Brasil em suas belezas e dificuldades. No fim das contas, cada um faz suas próprias escolhas e deve se sentir responsável por elas. Bom, eu escolho ser feliz (você também pelo jeito – que bom!)
    Tenha uma ótima semana!
    Rosa

    Le Paquet

  29. Texto show!! Viver nao e facil em nenhum lugar do mundo!! Em qualquer lugar temos dificuldades, realizacoes, experiencias boas e ruins. 'Dar certo' nao tem haver com status social, pais de 1,2,4 mundo. Mas tem haver com cada um de nos com as nossas escolhas diante de cada situacao. Concordo em genero, numero e grau!! Bjos.

  30. Muito bom, faz tempo que gostaria de falar algo assim… 🙂

  31. ai que droga perdi o comentario….
    Vou tentar lembrar o que eu escrevi haha.

    Eh por isso que sou sua fa (e tb pelo fato de voce ser linda neh, porque beleza pode nao ser tudo mas faz parte). Concordo em genero numero e grau. Infelizmente tem gente que soh eh feliz com a desgraca e infelicidade alheia. A diferenca entre pessoas boas e ruins eh que as boas te admiram, as ruins te invejam. Sim, concordo que tem gente que faz a vida parecer perfeita, mas nao eh regra. Nao eh porque fulana vive num mundo de faz de conta que todo mundo faz o mesmo. Tem gente feliz sim, e se as pessoas fossem um pouquinho mais espertas, saberiam distinguir a felicidade falsa da verdadeira. Algumas pessoas acham que soh serao felizes se conseguirem aquela vida que todos acham que seria perfeita (vida de filme). Mas felicidade nao eh algo padrao, definido… feliciadade esta na maneira com a qual encaramos as situacoes. Eu vejo em voce uma atitude positiva em tudo que voce posta, voce tem aquele jeitinho de ver as coisas pelo lado engracado, e quem faz isso vive muito mais feliz e mais tempo do que os outros.
    Deixe que te culpem, deixe que te invejam… nao sao eles que pagam suas contas, nao sao eles que dormem com voce.

    Falei falei e acho que no fim nao falei nada neh?
    hahahah

    Anyway, sou uma das que te admiram!
    Beijao Ka

  32. Karine, sua querida. Desde que descobri seu blog, ainda em 2012 e planejando meu intercâmbio, não passo um dia sem entrar aqui e me divertir com suas histórias. Com sua forma de ver e viver a vida. Acho incrível e sim, me espelho em vc.

    Mas não sou ingênuo a ponto de achar que o que aconteceu com vc vai acontecer comigo.

    Planejei meu intercâmbio por uns 9 meses e um m~es antes de embarcar, um amigo resolveu vir comigo. Resultado? Com menos de 2 meses ele resolveu voltar pra casa, pq não estava 100% consigo mesmo e não achou que Dublin fosse o que ele queria. Pq independente de onde ele estivesse, ele não tava bem.

    Eu não, fiquei e tô aqui. Pq eu quis isso e sei que vou fazer valer a pena, de um jeito ou de outro.

    Tenho cidadania européia e confesso que achei que chegando aqui,seria tdo fácil, afinal, eu era europeu. Outra lição que Dublin e a vida ja me ensinaram logo de cara: ser europeu não muda nada se não tiver garra.

    Ainda estou sem trabalho, ja sem escola, com pouco dinheiro, mas levando sorrindo todos os dias pq sei que fiz a escolha certa.

    Fico deprÊ? Sim. Divido isso nas redes sociais? Não. Escrevo meu blog pequeninho e ajudo aqueles que posso e principalmente, divido as minhas descobertas.

    Como sempre, Karine, vc fez um belo trabalho. COntinue assim, feliz!!!!

  33. Karine, sua querida. Desde que descobri seu blog, ainda em 2012 e planejando meu intercâmbio, não passo um dia sem entrar aqui e me divertir com suas histórias. Com sua forma de ver e viver a vida. Acho incrível e sim, me espelho em vc.

    Mas não sou ingênuo a ponto de achar que o que aconteceu com vc vai acontecer comigo.

    Planejei meu intercâmbio por uns 9 meses e um m~es antes de embarcar, um amigo resolveu vir comigo. Resultado? Com menos de 2 meses ele resolveu voltar pra casa, pq não estava 100% consigo mesmo e não achou que Dublin fosse o que ele queria. Pq independente de onde ele estivesse, ele não tava bem.

    Eu não, fiquei e tô aqui. Pq eu quis isso e sei que vou fazer valer a pena, de um jeito ou de outro.

    Tenho cidadania européia e confesso que achei que chegando aqui,seria tdo fácil, afinal, eu era europeu. Outra lição que Dublin e a vida ja me ensinaram logo de cara: ser europeu não muda nada se não tiver garra.

    Ainda estou sem trabalho, ja sem escola, com pouco dinheiro, mas levando sorrindo todos os dias pq sei que fiz a escolha certa.

    Fico deprÊ? Sim. Divido isso nas redes sociais? Não. Escrevo meu blog pequeninho e ajudo aqueles que posso e principalmente, divido as minhas descobertas.

    Como sempre, Karine, vc fez um belo trabalho. COntinue assim, feliz!!!!

  34. Antes de mais nada eu amei o post , achei muito bacana mesmo , acredite eu passo pelo mesmo , não mudei de país mais mudei de cidade e tem muita gente que se espelha no que fiz e como minha vida mudou ao fazer isso, infelizmente as pessoas não entendem que cada um é cada um e as oportunidades podem ser diferentes .

    Tem muita gente Ká que quer tudo de mão beijada , mas infelizmente a vida não é assim, claro que de vez enquanto bate na gente um sentimento de caridade e resolvemos ajudar certas pessoas que também estão nessa fase de mudança e adaptação, mas não vai ser sempre assim.

    Eu amei o post e realmente lhe dou toda razão, parabéns pelo talento de escrever , é por isso que eu amoooooooooo esse blog aqui .

    Posso lhe dar só uma dica ???? as fotos dos posts ficariam mais bonitas se você as coloca-se em tamanho MUITO GRANDE na hora da configuração da imagem no post . experimenta ??? se não gostar desconsidera o que eu disse .

    Ká um beijooooooooooooooooooooooooo !!!!!

  35. Reclamar é fácil. Difícil é viver, achar seu próprio caminho, seu lugar e a sua maneira de ser feliz.
    Alguns são expectadores da vida, outros protagonistas.
    Não se incomode com quem se incomoda com você. Bola para frente e continue escrevendo sempre. Adoro seu blog! Me fez perceber que eu poderia fazer intercâmbio mesmo tendo 31 anos.

  36. E isto ai amiga, quem ja passou sabe que nao e um mar de rosas.
    Parabens pelo post

  37. Como sempre matou a pauuuu!!!Parabens pelo post

  38. Texto muito verdadeiro! Adaptar não é fácil, mudar também não. Mudar de escola, mudar de cidade, mudar de professor, mudar de país… Mudanças são essenciais e fazem bem, mas não são fáceis… Você disse algo muito interessante que ficará marcado na minha vida e nos meus discursos daqui pra frente : " Sabe por que sou feliz aqui? Porque já era feliz no Brasil." Bem real pra mim,
    Beijos
    Cristiane

Leave a Reply