E os Ingleses, hein….

Essa semana fiquei surpresa quando assistindo a um programa no CBeebies direcionado para crianças pequenas notei que a apresentadora não tinha um braço.
Achei ótimo.

A apresentadora Carrie (que é mãe ), e que nasceu deficiente, desempenha muito bem o seu papel e fica claro que ela não foi contratada por causa da sua condição, mas pelo seu talento.

A minha surpresa não parou por aí , fiquei chocada mesmo quando soube que alguns pais tentaram fazer uma campanha para retira-la do ar com a alegação de que ela assustaria seus filhos. (oiiii????), é claro que a tal campanha não vingou e a apresentadora inglesa continua no seu posto firme e forte graças ao apoio da maioria esmagadora que assim como eu , acha importante encarar as pessoas e suas diferenças desde de cedo, porque crianças são curiosas e não assustadas com coisas desse tipo.

As vezes tenho a impressão de que Hitler não morreu.

Esses pais são o principal perigo para essas crianças que um dia serão jovens e adultos de cabeça pequena e limitada.

Pior do que não ter um braço, é não ter coração.

Certo ?

Facebook Comments

8 Comments

  1. Que interessante! Está mais do que na hora de diminuir a igualdade entre os diferentes. Aqui na Europa a gente vè muito mais deficientes físicos pelas ruas, mais incluídos na sociedade e exercendo papel que antes eram considerados "impróprios". Pena que no Brasil ainda estamos loooonge disso, seja porque não existe uma acessibilidade urbana, seja porque há muito preconceito. Mas pelo visto, o preconcentio anda por todas as partes, como nessa gente que tentou tirar a moça do ar. Enfim, um longo caminho ainda falta, mas que bom que estamos começando a andar! 🙂

  2. Que bom que as consciências estão mudando…quem sabe essa ação não sirva de exemplo para o resto do mundo???aqui no Brasil já tivemos uma pessoa com sindrome de Down trabalhando em novela, mas precisamos de mais ação direcionada.bjs

  3. Que show essa igualdade de oportunidades. Esses pais que queriam tira-la do ar deviam ser todos processados por discriminacao.
    Que essa boa nova se espalhe pelo mundo.
    Me lembro da primeira vez que tive uma amiga com necessidades especiais, na escola priamria: era meio perturbador a primeira vista, mas depois todos nós nos acostumamos com ela e sua cadeira de roda. Se eu tivesse recebido uma bonequinha sem perna qd crianca, acharia super normal. devemos nos acostumar com todas as formas em que o ser humano se apresenta.
    Valeu pelo post.
    bjim

  4. São essas atitudes qual tentam esconder a realidade dos filhos que criam um mundo menor e limitado na cabeça da criança, e que acabam por formar lacunas de medo no conhecimento das crianças, pois elas terá contato com a diferença e não estarão preparadas e ficaram impressionadas com a situação da pessoa.

  5. Sinceramente, duvido que ela queira ser conhecida como "A apresentadora sem braço"

    Ela só quer ser reconhecida como "A apresentadora" só isso.

  6. ótimo post cara
    otimo mesmo

  7. "As vezes tenho a impressão de que Hitler não morreu." [2]

  8. Oi!
    Fiquei contente em saber sobre a apresentadora, meu filho aqui em Dublin adoraaa a programação deste canal.
    bjus

Leave a Reply