Coisas que aprendi a viver sem morando fora do Brasil

que aprendi com o intercambio
coisas que aprendi vivendo no exterior

Eu aprendi a viver sem muita coisa.

Muitas delas eu fazia por força do hábito mesmo, sabe aquela coisa de estar tão inserida em uma realidade e nem conseguir enxergar que existem outras maneiras de se viver? Pois é.Depois que saí do Brasil percebi que muita coisa que a gente pensa que não vive sem é puramente cultural, como por exemplo:

O hábito de se ter Televisão no quarto

Na Irlanda, mesmo havendo algumas exceções, pessoas não tem o hábito de ter televisão no quarto, ou seja, a gente prefere fazer filho mesmo.

Aliás, será que essa brincadeira de falar para casais com muitos filhos, como a gente aqui em casa, “Não tem televisão não, hein?!” surgiu aqui? Pode ser…

A não chegar mais atrasada aos meus compromissos.

Não que no Brasil eu fosse uma sem noção, mas pra mim, Karine, hoje em dia eu prezo muito pela pontualidade, que não é Britânica ainda, mas está no caminho.

A esquecer o “ah, mas vai ficar chato se eu não chamar fulana”…

Eu não posso falar por todos os irlandeses, porque não convivo e não conheço todos eles, mas, as pessoas do meu círculo, sejam elas brasileiras ou de outras nacionalidades não se preocupam muito com isso de “que vai ficar chato se não convidar fulana”, com exceção é claro das crianças na escola.

Adultos maduros tendem a compreender que não é porque você não foi convidado para o casamento do primo, que o primo não faz questão da sua presença, ele pode simplesmente ter atingido sua verba, não é mesmo?

A mandar cartão.

Eu amo escrever e para mim, entrar na vibe de mandar cartão escrito a mão não foi nada difícil.

Na Irlanda existe cartão para tudo, para desejar melhoras, para desejar boa sorte nas provas, para a família em caso de falecimento, nascimento, troca de emprego e a lista é infinita!

A não sair com o cabelo molhado.

Eu tinha o hábito de sair com o cabelo molhado no Brasil, aqui adquiri o hábito de nunca sair com o cabelo molhado, por motivos óbvios.

A separar o lixo reciclável.

Hábito maravilhoso esse que adquiri. Sei que muita coisa mudou desde que vim morar em Dublin a 9 anos atrás, mas quando vou a passeio ainda fico um pouco nervosa quando vejo brasileiros misturando o lixo, espero que em breve eu atualize o post e tire esse ítem da lista!

Eu faço a minha própria faxina.

Eu faço a minha própria faxina e não é só porque eu tenho tempo não, é porque eu gosto mesmo. Ver alguém limpando a minha privada é um pensamento que me incomoda hoje em dia.

Pagar a vista.

Esse é um hábito do qual eu tenho muita alegria em ter adquirido.

Estou livre do cheque pré-datado (ainda existe isso?), cartão parcelado e carnê das casas Bahia e não é porque sou rica não, é porque fiquei um pouco mais inteligente e aqui a única coisa socialmente aceitável de se parcelar é casa própria.

Mais Participativa na vida acadêmica das crianças

Contei semana passada como funcionam as escolas públicas aqui na Irlanda e no quão envolvidos somos na vida escolar das crianças o que é um benefício não só pra gente, quanto para o nosso futuro.

.

Pois é, Como você deve ter reparado, não mencionei comida nesse post, porque sigo sem abrir mão rabanada, pastel, arroz e feijão.

Não dá pra abrir mão de tudo nessa vida de expatriada, não é mesmo?

Facebook Comments
3

8 Comments

  1. Polliana M. Reis

    Ka sua linda,deixei a preguiça de lado só para te dizer que cada dia mais amo seu blog e você e suas kids,ainda espero poder um dia morar em qlqr cantinho dessa ilha maravilhosa,há muito tempo te acompanho,mas tenho preguiça de escrever haha..Me julguem rs

    Beijos e que Deus abençoe..!

    • Karine Keogh

      Nunca é tarde! Muito obrigada por comentar!
      Acho tão engraçado que, sempre que penso em abrir mão do blog, recebo comentário assim que dá um ânimo a mais para continuar escrevendo. Obrigada mesmo. Um beijão!

  2. Marcela Corrêa

    Kariene, siga escrevendo!! Como a menina aí comentou tb tenho preguiça de escrever mas sempre estou lendo. Aprendi com você a tentar sempre marcar o primeiro horário do médico, para não atrasar muito a vida. Bjs Grandes

  3. Ola Kah
    De todos esses hábitos que você citou, o único que eu não tenho é o de mandar cartões, os demais sempre fizeram parte da minha vida, e olha que sempre morei no Brasil, haha. É mais uma questão cultural mesmo, moro em Santa Catarina, e aqui a nossa cultura é muito influenciada pela a alemã.
    Sempre leio o seu blog, te acompanho há uns 4 anos.
    Bjssss

  4. Assino tudo em baixo como se fosse meu o texto… mas veja vc… amo, digo, passei a amar, pão com marmelada e margarina… aprendi aqui, se for com mel, morro.
    Tive imensa dificuldade em entender o título, na primeira linha do texto é que ficou claro!
    E manicure e pedicure e depilação?
    Big bj e o youtube?

  5. Leio todos os posts ,inclusive os comentários. E que história é essa de parar com o blog?! Nem brinca com isso, dona Karine. Me inspirei com esse post e decidi parar de parcelar minhas compras. Essa “facilidade”brasileira tá ferrando com minhas finanças. Se eu morasse fora do Brasil teria que aprender, então bora aprender aqui msm.

  6. Cartao é vida! Mas eu aprendi a ser pontual memso depois que tive filhos…. rs

    Beijos

  7. Desses, também ainda não adquiri o hábito de mandar cartão…
    Mas hoje penso que um país em que quase toda a classe média tem alguém para limpar sua própria privada não pode mesmo dar certo!

Deixe uma resposta